Bombarral Homepage  BOMBARRAL
  • Facebook
  • Twitter


 

CAMINHOS PEDESTRES

7 passeios a pé ou de bicicleta para descobrir o concelho do Bombarral

Percursos identificados por François González de Quijano, constantes no livro da autoria intitulado "Bombarral a Pé".

Informações práticas

Grau de dificuldade dos passeios
Os passeios estão desenhados para toda a família. Contudo, no caso um determinado passeio apresentar uma dificuldade especial, uma nota chama a atenção na apresentação inicial do percurso.

Duração
O tempo indicado é calculado na base de uma velocidade média de 3 a 4 km/h.

De inverno... de verão...
Na temporada mais chuvosa, alguns caminhos podem ser lamacentos, especialmente junto a linhas de água. No verão, não se esquecer de levar boné ou equivalente, e água para beber.

Nº nacional de emergência: 112
Emergência de qualquer natureza, alerta de incêndio…

Transportes públicos
O Bombarral é servido por transportes ferroviários e rodoviários
http://www.rodotejo.pt/
http://www.cp.pt/

Respeitar a natureza e as gentes
Não colher fruta nas árvores, respeitar a propriedade alheia, cumprir as normas de cortesia… Não fazer lume de qualquer natureza entre Abril e Novembro.

Posto de Turismo do Bombarral
Este posto disponibiliza informações sobre o Concelho e toda a Região de Turismo do Oeste. Encontra-se na Praça do Município.
Aberto entre 9h-12h e 14-17h30.
Tel: 262609053; email: turismo@cm-bombarral.p


Passeio 2: Sanguinhal
O Vinho


Extensão: 8,5 km
Duração: 3 horas



Da Quinta das Cerejeiras à Quinta do Sanguinhal, o passeio presta homenagem ao vinho, fundamental na identidade deste Concelho.

A maior parte do circuito faz-se por caminhos de terra, mas por onde é fácil andar. No seu final, e por estrada asfaltada, visitar-se-á a capela de S. Brás.

Para um conhecimento mais aprofundado, entre na Wineshop da Quinta das Cerejeiras, marque uma visita à Quinta do Sanguinhal (Tel: 262 609 190) e, noutra oportunidade, desloque-se até à Adega Cooperativa do Bombarral (no Cintrão, direção de Torres Vedras).






Ponto de partida:

Quinta das Cerejeiras, Largo dos Aviadores Encontrará um estacionamento na entrada da Praça do Município; também há lugares disponíveis na Rua Madre de Deus, ou na Rua Júlio Tornelli, paralela à via-férrea.
Continua-se pela Rua da Madre de Deus, atravessando o respetivo largo e as vias-férreas na passagem de nível.

Km 0,150
Virar à esquerda, logo depois da passagem de nível, para o caminho paralelo à via-férrea

Km 0,300
Passar a ponte e continuar até à bifurcação onde se escolhe o caminho da direita

Km 0,800
Começar a subir a colina, continuando pelo caminho principal e seguir sempre em frente.

Km 1,900
Passado o ponto mais alto da colina (70m), virar à direita para o caminho que desce e vai levar ao Sanguinhal.
Continuar até cruzar a estrada asfaltada e aí virar à direita para a aldeia do Sanguinhal.

Km 3,0
Quinta das Faias.

Km 3,150
Igreja de Santo António

Km 3,200
Virar à esquerda na Rua D. Helena, logo após a mercearia e voltar à direita na Travessa das Parreiras, continuando pela Rua dos Combatentes da Grande Guerra

Km 3,550
Virar à direita no caminho de terra e continuar até à aldeia de Famões que se atravessa

Km 4,450
Depois da ponte, virar à direita para uma serventia agrícola e continuar até voltar à estrada.

Km 5,100
Seguir a estrada, ao longo de 150 m, e subir pelo caminho não asfaltado até ao ponto mais alto

Km 5,400
Virar à direita para um caminho que vai até à Quinta do Sanguinhal.
Regressar pelo mesmo caminho, que levou à quinta, e virar na primeira à direita, passando ao lado de casas bastante arruinadas

Km 6,300.
Continuar a subir pelo mesmo caminho, até ao entroncamento com a estrada asfaltada

Km 6,700
Seguir pela direita a estrada asfaltada que desce para o Bombarral e continuar até chegar ao cemitério.

Km 7,600
Capela de São Brás.
Continuar pela estrada e, na rotunda, seguir em frente até chegar à passagem de nível e à Quinta das Cerejeiras, ponto de partida e de chegada do
passeio (km 8,5).

Passeio 3: Quinta dos Loridos e A-dos-Ruivos
O Lado Oriental do Concelho

Extensão: 2 km
Duração: 1 hora


Este passeio, proporcionar-lhe-á uma «visita guiada» do BuddhaEden, espectacular jardim oriental instalado na mata de sobreiros da Quinta dos Loridos (traçado amarelo).



Extensão: 10 km
Duração: 3 horas


Em complemento, e para fazer contraponto a este exotismo, propomos uma pequena caminhada do lado da aldeia vizinha de A-dos-Ruivos, através dos campos mais a Leste do Concelho (traçado cor-de-laranja).



Ponto de partida:

Parque de estacionamento  da Quinta dos Loridos (indicações a partir da rotunda da Nacional 8 a 1km do Bombarral, na direção de Óbidos)

Ponto de partida:
Junto à estátua gigante de Kuam-Yin, no ponto mais elevado do BuddhaEden. Entra-se no primeiro carreiro à direita atrás da estátua, ao pé de personagens com 4 braços e turbano ornado dum cránio.
Continua-se até encontrar, 500 metros mais adiante, um caminho, que se segue à esquerda e leva à estrada asfaltada, onde se vira à direita.

Km1,6:
200 metros mais adiante, virar à direita no primeiro caminho. Prosseguir até chegar ao pé do muro da antiga fábrica. Voltar a esquerda em direcção à estrada.

Km2,5
Entrar na primeira rua à direita (Elisa Leal Mouga) e virar a esquerda na Travessa dos eucaliptos.
Continuar até ao fundo

Km 2,9
Virar a direita, na direcção da «casa amarela», e entrar no carreiro, que vai descendo.

Km 3,0
Voltar para trás e dirigir-se à capela. (a chave está ao cuidado do moleiro).
Continuar, subindo pela rua principal

Km 3,5
Um pouco mais acima: um pequeno largo com uma casa antiga.
Da estrada principal, dirija-se para o coreto e, dali, para o velho freixo
Continua-se pela Rua do Rossio e, atravessando-se a estrada, progride-se pela ruazinha em frente e volta-se a estrada, à pouca distância do moínho.
Voltar à estrada, em direcção à aldeia, e entrar no carreiro a direita pelo portão do «Casal Monteiro».
Seguir em frente, para além do casalinho e do cume da pequena colina.
Ao fundo, virar à esquerda e continuar até à aldeia.

Km 5,6
Virar à direita, na estrada asfaltada.

Km 6
Entrar no caminho a direita e continuar sempre em frente.

Km 7
Na rotunda do Carvalhal,virar a esquerda e entrar a seguir no 2º caminho à direita (casas nº 7 e 5).

km 8,4
Junto do moínho, vira-se à esquerda e entra-se na aldeia do Sobral do Parelhão. Continuar pela «Travessa do Mouzinho », até ao «Largo da Juventude».
A «Rua Velha» leva até a capela de Santa Ana.

Km 8,6
Continuar pela estrada principal; na rotunda, continuar pela estrada asfaltada até à Quinta dos Loridos.


Passeio 4: Carvalhal
A Fé

Extensão: 7 km
(3 km pelo atalho)


Duração: 2 horas
(1 hora pelo atalho)


De Nossa Senhora do Socorro até o santuário do Senhor Jesus, o passeio incide principalmente nos sinais da Fé, numa freguesia que parece ter predisposição para ela.

O circuito faz a volta pela bonita aldeia do Carvalhal, por andanças fáceis, exceto o trecho inicial, que utiliza uma agreste senda na encosta do Rio do Carvalhal, que se pode evitar entrando diretamente na aldeia.

Se desejar fazer um passeio mais curto, siga o atalho marcado com tracinho descontínuo.




Ponto de partida:

Ermida de Nossa Senhora do Socorro, na entrada Sul do Carvalhal (há ali espaço para estacionar no terreno adjacente à capela).
Para visitar a capela, dirija-se à Junta de Freguesia

Km 0,1
Virar á direita, na Calçadinha da Ponte, antes de entrar na povoação, e voltar à esquerda, logo antes da ponte; atravessar o riacho e continuar pela senda a meia encosta.

Km 0,7
Virar na primeira rua a esquerda, na direção da igreja.

Km 0,8
Passando em frente da Casa do Despacho, chegamos à Capela do Santíssimo Sacramento
Virar na primeira rua a esquerda (Rua de Mestre Hermínio). Ao fundo, virar à direita e continuar em frente.

Km 0,9
A Torre

Km 1
Subir a Rua do Hospital até à esquina com a Rua de S. José.

Km 1,1
Continuar a subir a Rua do Hospital, até o Grémio da Lavoura

Km 1,4
Chegando ao chafariz, subir pelos degraus até alcançar um pequeno largo. Continuar até a Casa dos Mouras.

Km 1,5
Virar à esquerda, subindo pela Rua do Padre Prata e continuar sempre em frente durante cerca de 1 km.

Km 2,4
Depois das «Casas da Vinha », virar a esquerda no caminho que se vai juntar à estrada asfaltada.

Km 2,7
Na estrada, virar à esquerda para o Carvalhal, passando em frente da Casa do Rocio, do poeta Ventura.

Km 2,9
Virar na Rua da Oliveirinha (a segunda a direita), na qual se apanha, logo à entrada, a Rua das Chafueiras, que desce pelo vale. Continuar no caminho principal, atravessando duas vezes a ribeira, seguindo-se sempre em frente.

Km 4,8
Progredir, até voltar à direita para uma serventia agrícola, que, mais abaixo, vai dar a um caminho mais largo, onde se vira a esquerda.

Km 5,7 (2,0)
Continuar em frente, na direção das torres do Santuário.
No segundo cruzamento, virar a direita para o santuário.

Km 6,0 (2,3)
Santuário do Senhor Jesus.

Km 6,2 (2,4)
Sair do recinto, continuar pela estrada asfaltada que leva até a Ermida de N. S. do Socorro, ponto de partida e chegada do passeio.


Passeio 5: Delgada / S. Mamede
À procura da antiga mata


Extensão: 14 km
Duração: 3,5 - 4 h



O passeio da Delgada corresponde já a uma razoável caminhada.

O percurso atravessa três pequenas zonas de mata ; as visitas a monumentos são reduzidas ao mínimo.

A caminhada far-se-á por declives bastante acentuados, contudo acessíveis à qualquer pessoa sem limitação física; também é utilizável por «ciclistas todo-o-terreno».

Ponto de partida e de regresso:
Largo da Ponte Velha, na Delgada, perto da ligação a Norte desta povoação com a A8 e a N8 Passa-se a ponte e, à esquerda, sobe-se pela Rua da Paz. Continuar sempre em frente, pelas ruas D. Pedro V e Rainha D. Amélia, até chegar ao museu «Aldeia dos Pequeninos», na parte alta da aldeia

Km 0,5
Aldeia dos Pequeninos

Continuando a subir pela rua, para onde se abre a porte do Museu, chegamos ao Clube Recreativo Delgadense, a partir do qual iniciamos
a descida, em diagonal, pela Rua. Cabeço do Moinho, prolongada pela
Rua Sacadura Cabral.
Passa-se por detrás de um moderno armazém de fruta, e vira-se, na esquina, descendendo em direção à ponte, para prosseguimos abaixo da
auto-estrada.

Km 1,1
Atravessa-se a Nacional 8, e a Linha do Oeste.
Continua-se até as primeiras casas dos Baraçais.



Km 2

Virar na Rua do Espírito Santo e subir até a Capela.
Continuar para o Casal da Merca (caminho de terra) cerca de 1km.

Km 3,5
Virar a direita no 1º cruzamento quando se desce a colina na direcção de Delgada.
No cruzamento seguinte, voltar a esquerda, para Norte, entrando na pequena mata.
Após sair dela, virar a direita no caminho maior, na direcção de Roliça.

Km 5,3
Antes da cruz das Almas, virar a direita e passar a ribeira sobre uma pequena ponte.
Atravessar o lugar de Casal Fialho e continuar para São Mamede.

Km 6
Cruzando-se a estrada, continuar pela Rua da Caldeira…

Km 7,5
…até às cancelas que dão para atravessar a via-férrea.

Km 7,7
Continuar até ao largo, onde se situa o Solar e Capela dos Mello, e o chafariz.

Km 8
Passar em frente do palácio, e virar a esquerda, seguindo a indicação «Boavista».
Voltar pela serventia a esquerda, logo após a ponte da auto--estrada.

Km 8,5
Perto do túnel debaixo da auto-estrada, virar a direita para o caminho que vai subindo a colina.
Prosseguir até Usseira pela R. Vale Figueras; prosseguir pela R. das Poças Nabiças.
Perto do lavadouro, entrar na R. da Faveca, e virar a direita na estrada asfaltada (R. da Vitória).

Km 12
Pouco depois a indicação «Alto dos Cabecinhos», entrar no caminho a esquerda que faz esquina com um armazém de fruta.
Prosseguir por este serventia, atravessando um pomar (propriedade privada, obrigado de não mexer na fruta!).
Após uma agreste descida, virar a direita, e continuar durante cerca 1 km até chegar a Delgada pela «R. de S. Pedro».
(A chave da capela está ao cuidado de uma família que tem sua casa do lado oposto da rua).


Passeio 6: Roliça
A batalha


Extensão: 10,5 km
Duração: 3,5 h


O passeio sai da Roliça e volta ao mesmo local. Passa pelos lugares em que se deu a batalha de 1808 (ver as estrelas no mapa), visitando elementos significativos do património histórico e natural da Freguesia.

Na zona do Picoto, o percurso apresenta algumas passagens difíceis para pessoas com mobilidade reduzida e para ciclistas.

Ponto de partida:
Monumento à Batalha da Roliça, (há espaço para estacionar nas imediações). Seguir em direção à Igreja, pela Rua das Invasões Francesas.

Km 0,100
Para aceder ao adro da igreja, há que subir alguns degraus.
No fundo da Rua das Invasões francesas, virar a esquerda.
Atravessa-se a estrada asfaltada e entra-se no caminho, que fica quase
em frente.

No topo da ligeira eminência, no local em que se encontra agora um espaço
de treino de cães, se dispôs a primeira posição defensiva, ocupada pelas tropas francesas, na Batalha da Roliça
Continua-se por um caminho, quase plano, em direção aos moinhos e, ao
longe, ao alto do Picoto.

No cruzamento com a estrada asfaltada, virar a direita e entrar a seguir
no primeiro caminho de terra à esquerda (Rua dos Cargos)


Voltar a direita, no cruzamento de caminhos, em direção a uma ligeira
elevação com eucaliptos.
Continua-se até uma rua asfaltada que entra na aldeia da Columbeira.

Km 3,5
Entra-se na aldeia da Columbeira, pela estreita e transitada Estrada Nacional, e continua-se até o largo com um cruzeiro.
Segue-se em frente pela R. Francisco Mega; a capela de Nosso Senhor da Boa Hora fica do lado esquerdo (a chave está
ao cuidado da dona da mercearia contígua).
Pela rede de ruas estreitinhas da aldeia, dirigir-se ao chafariz e de lá para Capela Sant’Ana.

Da capela, continuar pelo «Beco do Canceleiro» e continuar pela senda que dá para a «Ponte de Comissão
Virando à esquerda, prosseguir beira do rio durante cerca de 30m até uma horta com cerca, onde se vira no carreiro a direita.
Subir, voltando a direita de novo, para entrar no arvoredo, no local assinalado por um poste com a indicação «Batalha da Roliça».
Continuar neste trilho até ao cruzamento de caminhos, à saída do arvoredo, onde se escolha o mais à esquerda.
Passar perto do Castro de Columbeira (v. p. seguinte); pouco depois, virar a direita e continuar na crista até ao Túmulo do
Coronel Lake.
Descer até regressar ao cruzamento de caminhos, pelo qual já tínhamos passado ao sair do arvoredo.

Aqui, virar a esquerda e logo a seguir à direita (carvalhos em «V») num trilho íngreme que leva ao alto do Picoto.
Por detrás do depósito de água, uma vereda dá aceso ao recinto, onde se celebram misssa campais; de lá, pelos rochedos
à direita (passagem perigosa), acede-se à um sítio do qual se desfruta de uma vista espetacular sobre o vale.
Voltar ao altar das missas campais, continuar no caminho principal e virar à direita, no 1º encruzamento (Posto «Bolsa de
Natureza»).

No entroncamento de caminhos, continuar pelo carreiro a direita, até algumas rochas que afloram no chão. Neste local, virar a esquerda e descer por
um carreiro mal definido, em direcção a um velho carvalho-cerquinho e, mais abaixo, à estrada asfaltada. Mais abaixo ainda, na junção com um
carreiro, virar à esquerda, e subir até ao caminho principal, em que se volta a direita, em direcção à Azambujeira.
200m mais adiante, antes das primeiras casas do lugar, vira-se à esquerda para um atalho, que fica perto de uma sebe de cedros, e vira-se novamente
a esquerda, quando se chega ao caminho principal (Estrada Real). Fazer a descida para o Vale.

No entroncamento de caminhos, virar à direita e, poucos metros mais adiante, entrar numa serventia agrícola, à esquerda, em direção às canas que acompanham a linha de água e à aldeia da Roliça.
Segue-se à direita, pelo carreiro a beira da ribeira, até as proximidades da Roliça.
Passada a ponte, virar à esquerda (R. Palácio Melo e Castro), para ir diretamente ao fontanário do Largo de D. Maria I, ponto de partida e de chegada do passeio.

Passeio 7: Mon Barral
No berço do Concelho


Extensão: 11,5 km
Duração: 3 h



Este passeio desenvolve-se nas suaves elevações a Noroeste de Bombarral, terras que foram as primeiras a serem valorizadas pelos monges de Alcobaça e seus rendeiros nos séculos que seguiram a Reconquista. Esta área, que na altura pertencia à Quinta da Granja, era chamada «Mon Barral» (Mons Barralis).

Vamos portanto visitar o berço do Concelho, terras votadas ainda hoje à agricultura. O passeio vai ser mesmo rural!

O percurso desenvolve-se sem apresentar dificuldades técnicas notáveis.






Ponto de partida:

Rotunda na esquina da Rua Infante D. Henriques com a Av. Dr. José de Albuquerque (O estacionamento é possível R. Infante D. Henrique em frente da creche ou na Av. Albuquerque, perto da padaria/café Migalhas e do café Napoleão).
Seguir a direcção «Lourinhã, Vale Côvo» por uma rua asfaltada, que vai subindo ligeiramente em direcção da auto-estrada.
Passar debaixo do viaduto da autoestrada e continuar pela Rua do Falcão, que desce na zona rural.
Continuar sempre em frente.

Km 1,0:
Depois da ponte da ribeira, abandonar a estrada asfaltada e entrar no caminho de terra, à direita, que vai subindo ligeiramente.
Continuar sempre em frente neste caminho, durante cerca 1km;
Antes de chegar ao topo da colina, virar a direita no entroncamento com vários sobreiros.

Km 2,1
Continuar por este caminho, que desce ligeiramente entre pomares.
Atravessar a estrada asfaltada (cuidado com o trânsito!)

Km 3
Entra-se no caminho do outro lado da estrada, marcado pelas iniciais «J. F.» Continua-se sempre em frente.

Km 3,6
Perto de um pequeno lago, virar a esquerda entre vinhedos.

Km 3,9
Virar novamente a esquerda na segunda intersecção, entrando no caminho plantado de árvores. Continuar até a Quinta.

Km 4,5
Virar a direita na estrada asfaltada, seguindo por ela, e entrar no carreiro que leva à antiga Quinta de Vila Viçosa, na entrada de Azambujeira.

Km 5
Um pouco acima da velha Quinta de Vila Viçosa, um carreiro pouco transitado segue um muro e contorna a povoação, juntando-se à um caminho em que se vira à direita para descer até a estrada asfaltada. Continuar nesta estrada, durante cerca de 1,5km, ultrapassando os reservatórios de água.

Km 7,4
Quando a estrada começa a descer, virar à esquerda num caminho que entra na aldeia dos Baraçais.

Km 7,8
Atravessar a aldeia até chegar à Capela; continuar para baixo e recuperar a estrada asfaltada, descendo pelo lugar.

Km 8
Logo antes da ponte, no local em que se encontra uma adega, vira-se no caminho à direita.

Km 8,5
O caminho atravessa uma linha de água, sobre uma frágil ponte de madeira, e segue a beira do Rio Real.
Continuar a beira do Rio Real, passando abaixo da auto-estrada (Km 9,4) e em frente de um ponte dando acesso a Quinta da Granja (Km 9,6)

Km 10,3
Continuar até chegar a uma rua asfaltada, na entrada do Bombarral.
Subir pelo «Bairro das Oliveiras», voltando ao ponto de partida pela Rua Mouzinho de Albuquerque.