Bombarral Homepage  BOMBARRAL
  • Facebook
  • Twitter

Património Arqueológico do Concelho do Bombarral


GRUTA NOVA DA COLUMBEIRA

Localizada na vertente Oeste do Vale do Rôto, nas imediações da aldeia da Columbeira, foi descoberta em 1962 durante os trabalhos de uma pedreira. É uma das grutas portuguesas que constitui uma referência para o Paleolítico Médio, tendo fornecido evidências claras de uma ocupação da espécie Homem de Neandertal. As datações obtidas permitem remontar esta presença a cerca de 30.000 anos BP (antes do Presente). Foi intervencionada pela equipa dos Serviços Geológicos de Portugal, liderada por Octávio da Veiga Ferreira, e contou com a colaboração de arqueólogos amadores locais, os mesmos que viriam a impulsionar a criação do primeiro núcleo museológico da vila do Bombarral. Dos materiais recolhidos destaca-se, em termos de arqueofauna, a hiena das cavernas, o lobo, o urso pardo, o veado, a cabra montês e o auroque, bem como ainda um vasto conjunto de indústria lítica de tipo moustierense que revela uma longa e intensa ocupação da cavidade por grupos de Neandertais, por vezes como residência permanente e outras vezes em curtos períodos sazonais.

 
 
 
 
 
 
 

GRUTA DA LAPA DO SUÃO

Situada na mesma vertente do Vale do Roto, ainda que a cota superior, esta cavidade pertence ao conjunto de arqueossítios conhecidos desde o século XIX, pelo que poderá ter sido intervencionada, cerca do ano de 1880, por Carlos Ribeiro, A ocupação humana desta gruta desenvolveu-se ao longo de milhares de anos. Além de vestígios do Paleolítico Superior, período atestado pela arqueofauna e indústria lítica, existem níveis mais recentes do Neolítico, fornecendo espólio importante como ídolos-placa decorados, pequenas estatuetas zoomórficas de coelhos e uma estatueta antropomórfica em terracota. A gruta terá ainda recebido o depósito secundário de ossos humanos, um nível tumular (ossário) com evidências de carbonização do material ósseo de cronologia provavelmente coincidente com a Pré-história Recente (Neolítico ou Calcolítico). À Idade do Cobre pode ser atribuída uma relevante quantidade do material lítico e das formas cerâmicas exumadas, sem esquecer evidências de uma ocupação da Idade do Bronze, marcada pela descoberta de uma taça decorada no interior com ornatos brunidos, formando um motivo floral.

 
 
 

CASTRO DA COLUMBEIRA

O cabeço onde se situa o ‘Castro’, chamado “Serra do Castelo”, é sobranceiro à povoação da Columbeira. Descoberto por José Leite de Vasconcellos na primeira década do século XX, este povoado fortificado tem uma cronologia da Idade do Cobre, mais propriamente do 3º milénio a.C.. Possui duas linhas de muralhas, tendo apenas sido intervencionado o seu recinto central. Esta fortificação de formato quadrangular, apresenta bastiões circulares e semi-circulares, sendo evidente um pequeno corredor de entrada virado a Sudeste. Na Idade do Bronze foi adicionada uma torre, estrutura localizada a Noroeste. Dos materiais recolhidos ao longo de sucessivas campanhas, permitindo integrar este povoado na Idade do Cobre inicial, constam vasos cerâmicos, alguns decorados, pontas de seta, lascas e lâminas em sílex, machados de pedra polida, utensílios em osso e pesos de tear, bem como restos faunísticos diversificados. Os seus habitantes desenvolviam actividades agrícolas e pastorícias.

 
 
 
 
Município do Bombarral


Divulga também a sua página Museu Municipal do Bombarral

Divulga também a sua página