Bombarral Homepage  BOMBARRAL
  • Facebook
  • Twitter

   ASSUNTOS SOCIAIS - NOTÍCIAS

 
 

Município Bombarral promove ciclo de cinema sobre os direitos das mulheres
“Trabalho igual, salário igual”

“Trabalho igual, salário igual”
[+] Fotos
As desigualdades salariais entre homens e mulheres foi a temática que abriu o ciclo de cinema que o Município do Bombarral, através do Núcleo de Intervenção Local para a Área da Violência Doméstica, e a associação igualdade.pt estão a promover sobre os direitos das mulheres.

O primeiro filme a ser exibido no Auditório Municipal foi “Made In Dagenham”, um filme, baseado numa história verídica, que “retrata a luta das mulheres pela igualdade salarial, dando uma interessante visão sobre a dinâmica laboral e politica vivida na década de 60 no Reino Unido”, explicou, na abertura, a vereadora dos Assuntos Sociais da Câmara Municipal, Rosa Guerra.

A autarca destacou ainda que esta é um das temáticas que “temos vindo a trabalhar, não só junto da população adulta, mas também com as crianças, através da realização de várias ações nas escolas”.

“Desde o ano passado temos intensificado a promoção de medidas e ações de combate às desigualdades de género, nas quais se incluem o Plano Municipal de Igualdade de Género, que está em fase de elaboração”, realçou Rosa Guerra.

Por fim, a autarca salientou que “apesar das diferenças físicas entre homens mulheres, defendemos o princípio «trabalho igual, salário igual», bem como a igualdade de oportunidades para ambos”.

Após a exibição do filme, teve lugar um período de debate, moderado por Bruna Tapada, da associação igualdade.pt, que contou com as intervenções de Joana Sales e Carla Kristensen, da União de Mulheres Alternativa e Resposta (UMAR).

Como salientaram as oradoras, esta película cinematográfica deve servir de “inspiração para todos na luta pelos direitos da mulheres”, tendo apontado alguns direitos que continuam por conquistar, como a igualdade salarial ou a igualdade de oportunidades, nomeadamente ao nível da progressão na carreira, apesar das mulheres terem mais qualificações.

Pára além das questões salariais, como realçaram as técnicas da UMAR, o filme aborda outras áreas, nomeadamente a forma como os homens comunicavam com as mulheres, a forma como eram tratadas ou ainda a postura que as mulheres tinham nos cargos políticos e de chefia.

Realizado por Nigel Cole, o filme retrata um episódio ocorrido em 1968, na fábrica da Ford, em Dagenham, que era, na altura, uma das maiores empresas privadas do Reino Unido.

Insatisfeitas por receberem um salário inferior ao dos homens, 187 mulheres decidem reivindicar melhores condições de trabalho e um aumento dos salários, por consideram que o seu trabalho era tão importante como o dos homens.

Não tendo a empresa acedido às propostas apresentadas, as mulheres partiram para a luta, realizando várias greves e manifestações. Com persistência e muito sacrifício, acabam por conseguir a almejada aproximação da igualdade salarial, que só viria a concretizar-se, em termos de legislação, no ano de 1970.

A próxima sessão deste ciclo de cinema sobre os direitos das mulheres está agendada para as 16:30 horas do dia 17 junho de 2017.
 
 

Município do Bombarral promoveu ação de sensibilização Igualdade de género
Partilha é a palavra de ordem

Partilha é a palavra de ordem
[+] Fotos
As desigualdades, entre os homens e as mulheres, que persistem no mercado de trabalho estiveram em debate numa acção de sensibilização promovida pelo Município do Bombarral, através do NILAVD – Núcleo de Intervenção Local para a área da Violência Doméstica, em pareceria com a CITE – Comissão para a Igualdade no Trabalho e no Emprego.

Intitulada “Trabalho, Género e Parentalidade – O que mudou no mundo do trabalho?”, a ação decorreu no passado dia 28 de abril de 2017, no Auditório Municipal, no âmbito das comemorações do Dia Internacional do Trabalhador

Na abertura da sessão, Rosa Guerra, vereadora da Câmara Municipal com o pelouro dos Assuntos Sociais, frisou que com esta iniciativa pretendeu-se “intensificar a discussão sobre esta temática, prevenindo a discriminação em função do género”.

“A mudança que desejamos neste domínio só se concretizará se houver um envolvimento de todos”, salientou a autarca, realçando a importância da autarquia dar o exemplo, algo que tem acontecido através das várias ações já realizadas acerca desta e de outras problemáticas.

Rosa Guerra focou ainda algumas das questões que devem ser debatidas neste âmbito, como é o caso das condições legais existentes e futuras alterações. “Hoje em dia, já permitem uma partilha mais equilibrada da licença entre homens e mulheres, ou seja, um alargamento dos direitos de parentalidade do pai”.

A autarca lançou ainda a reflexão sobre quem deve cuidar dos filhos. “Apesar da evolução social e cultural, lamentavelmente o gozo dos direitos de parentalidade é ainda entendido como um exclusivo das mulheres, constituindo um obstáculo a que os pais trabalhadores também dele usufruam”, frisou.

Como salientou, “a licença parental pode ser usufruída em simultâneo por ambos os progenitores” e a sua duração pode inclusivamente ser aumentada “se for partilhada”.

Por fim, Rosa Guerra fez questão de realçar que ao promover estas ações “não estamos a afirmar que homens e mulheres são iguais, mas sim que devem ter igualdade de oportunidades”.

José Ribeiro, técnico da CITE, foi o orador convidado, tendo iniciado a sua apresentação lançando um pequeno desafio, com o intuito de demonstrar que, “mentalmente, olhamos para qualquer pessoa ou situação dentro dos padrões que nos são incutidos”.

“Para conseguirmos reflectir sobre as questões da igualdade de género de uma forma pouco intuitiva temos de abandonar esses estereótipos”, frisou.

Depois de uma breve apresentação da instituição que representa e do trabalho que esta desenvolve, José Ribeiro, apresentou alguns dados estatísticos sobre a taxa de homens e de mulheres no mercado de trabalho, que apontam para o facto das mulheres ocuparem “maioritariamente as categorias profissionais menos qualificadas, apesar de terem mais habilitações”.

Como referem os números, apesar de 50% das pessoas com ensino superior e de 54,8% das pessoas doutoradas serem mulheres, 91% dos lugares de membros dos Conselhos de Administração das maiores 17 empresas cotas em bolsa são ocupados por homens.

José Ribeiro fez ainda uma breve apresentação do IGen, um fórum que reúne cerca de seis dezenas de empresas, entre as quais várias multinacionais, onde estas assumem o compromisso de incorporar nas suas estratégias de gestão a promoção da igualdade profissional.

Na sua apresentação focou ainda as horas que os homens e as mulheres despendem com as tarefas domésticas e os cuidados familiares, demonstrando que a desigualdade existente no trabalho “decorre da desigualdade no apoio à vida familiar”.

Um das soluções para diminuir essa desigualdade passa por aproveitar os direitos consagrados na legislação, sendo um dos melhores exemplos a licença de parentalidade, que convida a uma maior participação dos pais numa tarefa que estava até aqui mais associada às mães.

No entanto, como referiu, são cerca de 80% os pais que usufruem da licença obrigatória e apenas cerca de 30% das famílias recorrem à licença partilhada.

Como defendeu José Ribeiro, é necessário uma melhor conciliação entre a vida familiar e profissional, mais igualdade de género no acesso ao emprego, uma maior partilha entre o pai e a mãe e aumentar a natalidade.

Por fim, o técnico do CITE falou sobre os estereótipos de género, apontando algumas características associadas aos homens e às mulheres, assim como vários exemplos do que a sociedade espera de ambos.

Em jeito de conclusão, ficou a ideia de que ainda há um longo caminho para percorrer no que diz respeito à igualdade de género e que chegou a altura de mudar o paradigma familiar, devendo a partilha ser a palavra de ordem.
 
 
CLDS 3G Bombarral Social apresentou formações e workshops
CLDS 3G Bombarral Social apresentou formações e workshops
[+] Fotos

O CLDS 3G Bombarral Social apresentou, no passado dia 28 de março de 2017, no Auditório Municipal do Bombarral um conjunto de acções de formação, de curta duração, bem como workshops de diversas temáticas, todos eles com especial foco na aquisição de competências e capacidades por parte dos formandos.

A sessão, que contou com a abertura da vereadora da Câmara Municipal com o pelouro dos Assuntos Sociais, Rosa Guerra, teve como o principal objectivo fomentar a partilha de experiências com o intuito de enriquecer as competências sociais e profissionais dos desempregados do concelho do Bombarral.

As ações de formação pretendem dotar os formandos de conhecimentos básicos em diversas áreas que, pode permitir-lhes um acesso mais rápido e facilitado ao mercado de trabalho.

As ações de formação a desenvolver entre abril e junho de 2017, são as seguintes:
- “Gestos que Salvam” com duração de 8 horas;
- “…Espelho Meu…” com duração de 4 horas;
- “Bem-Me-Queres” com duração de 35 horas;
- “(In)Formar para Capacitar” com duração de 4 horas;
- “Oficina E” com duração de 2 horas;
- “Informação Resultados Significado” com duração de 2 horas.

Todas estas ações de formação e workshops irão ser dinamizados pelos elementos da equipa do CLDS 3G Bombarral Social na sede desta entidade, na antiga escola primária do Bombarral.

As inscrições podem ser efectuadas na sede do CLDS 3G Bombarral Social ou através dos telefones: 262099761 / 912498431.
 
 
 

Navegar em segurança na internet

Navegar em segurança na internet
[+] Fotos

O Auditório Municipal do Bombarral acolheu, no passado dia 9 de março de 2017, uma ação de sensibilização sobre os cuidados a ter na internet e sobre a nova nota de 50 €.


Promovida pelo Município do Bombarral e pela Guarda Nacional Republicana, a iniciativa teve como público-alvo os alunos do programa municipal “Universitários 50+”, embora a mesma estivesse aberta a toda a comunidade.


Na abertura da sessão, Rosa Guerra, vereadora da Câmara Municipal com o pelouro dos Assuntos Sociais, agradeceu a disponibilidade da GNR para a realização desta ação e destacou a importância da população estar sensibilizada para estas temáticas.


A abordagem aos temas da ação de sensibilização esteve a cargo do Cabo João Frango, da secção de programas Especiais da GNR, que começou por falar de segurança na internet.

Como salientou, “a GNR preocupa-se com a segurança das pessoas no mundo real assim como no mundo virtual e apesar da internet ser virtual os perigos são bem reais”.

Na sua apresentação, o Cabo João Frango deixou alguns conselhos sobre como navegar em segurança na internet, indicando algumas regras básicas que devemos seguir quando utilizamos esta ferramenta.

Neste âmbito, abordou ainda as problemáticas do bullying e do cyberbullying, sendo este último exercido com recurso às novas tecnologias. Segundo o guarda da GNR, estas são situações que têm vindo a aumentar, levantando grandes preocupações junto das autoridades.

Os cuidados a ter com o e-mail e com as conversas on-line foram outros dos temas abordados nesta ação de sensibilização.

Por fim, o Cabo João Frango falou sobre a nova nota de 50 €, que entrará em circulação no próximo dia 4 de abril de 2017, tendo apresentado os vários elementos de segurança que a mesma contém.
 
 
 
Bombarral assinalou o Dia Internacional da Mulher
Colaboradoras da autarquia foram presenteadas com um saquinho de bombons

O Município do Bombarral, através do NILAVD – Núcleo de Intervenção Local para Área da Violência Doméstica, assinalou, durante o dia 8 de março de 2017, o Dia Internacional da Mulher.

Mais fotos

Para assinalar esta efeméride, a vereadora dos Assuntos Sociais, Rosa Guerra, acompanhada pelas técnicas deste setor da Câmara Municipal, distribuiu pelas colaboradoras da autarquia um cartão com a história desta data comemorativa e um saquinho com bombons de chocolate.

As colaboradores, assim como os colaboradores da autarquia, foram ainda desafiados a escrever um frase sobre a mulher para colocar no “estendal” alusivo à efeméride, que foi colocado à entrada dos Paços do Município com o intuito de chamar à atenção para as desigualdades que ainda hoje existem entre homens e mulheres.
 
 
 
CPCJ’s do Oeste reuniram-se no Bombarral
O encontro debateu problemáticas como o absentismo escolar e a violência doméstica

A interligação entre o absentismo escolar e a violência doméstica foi o tema central do XI Encontro de CPCJ’s do Oeste, que teve lugar no Bombarral no passado dia 28 de outubro de 2016.

GALERIA DE FOTOS

Organizado pelo CPCJ – Comissão de Proteção de Crianças e Jovens do Bombarral, o encontro realizou-se no Auditório da Escola Básica e Secundária Fernão do Pó, tendo reunido cerca de meia centena de participantes, oriundos de toda a região.

Na abertura da sessão, Ricardo Miranda, presidente da CPCJ do Bombarral, começou por explicar a escolha dos temas abordados, os quais surgiram de “uma pequena abordagem ao relatório Anual de Avaliação das CPCJ’s”.

Elencando alguns dados do referido relatório, Ricardo Miranda realçou os números relativos à violência doméstica, destacando a ligação do abandono e do absentismo escolar à vivência ou exposição a situações de violência por parte das crianças e jovens.

O presidente da CPCJ do Bombarral finalizou a sua intervenção com uma abordagem ao tema em destaque no período da tarde, frisando que para evitar “a replicação deste fenómeno”, bem como “sinalizações futuras, é importante reconhecer os sinais por detrás dos indícios”.

Em representação da CNPDPCJ - Comissão Nacional de Promoção dos Direitos e Proteção das Crianças e Jovens, na sessão de abertura marcou presença, o diretor executivo, José Carlos de Sousa, a quem coube também à abordagem ao primeiro tema do dia.

Devido a outros compromissos, o presidente da CNPDPCJ, Armando Leandro, não conseguiu estar presente na abertura da sessão, mas participou no período da tarde, tendo inclusivamente dirigido algumas palavras no início dos trabalhos.

Saudando o presidente da Câmara Municipal do Bombarral, o diretor nacional executivo da CNPDPCJ começou salientar o papel que as autarquias têm “na concretização efectiva das Comissões de Proteção de Crianças e Jovens”.

Seguidamente, José Carlos de Sousa abordou a lei, publicada a 10 de agosto de 2015, que cria a CNPDPCJ, salientando que a mesma “salvaguarda o papel das comissões, nutre-as com outras capacidades, competências e, sobretudo, com novos factores desafiantes”.

Olhando para os números, José Carlos de Sousa frisou que a nível nacional existem 2180 comissários, ou seja, “nós não temos comissários a menos, temos é comissários com pouco tempo de afetação às comissões”, apontou este responsável,

Neste âmbito, o diretor nacional executivo da CNPDPCJ salientou “o trabalho que os municípios têm feito, colmatando muitas das dificuldades que existem ao nível dos tempos de afetação de outras entidades”.

José Carlos de Sousa falou ainda sobre as condições de funcionamento das comissões, sobre o plano de formação, destacando, entre outras áreas, a preocupação com a problemática da violência doméstica, bem como sobre o papel de maior proximidade que as comissões regionais vão passar a ter relativamente às comissões locais.

O encerramento de sessão de abertura esteve a cargo do presidente da Câmara Municipal do Bombarral, que se mostrou muito satisfeito pelo município a que preside ter sido novamente escolhido para a realização deste encontro, tendo aproveitado para agradecer a todas as pessoas e entidades envolvidas na sua organização.

José Manuel Vieira fez ainda questão de realçar o “trabalho efectuado pela CPCJ do Bombarral”, considerando que o mesmo tem “sido muito relevante ao nível do acompanhamento das famílias e na proteção das crianças e jovens do nosso concelho”.

O autarca dirigiu ainda uma palavra de “reconhecimento a todos quantos exerceram funções na nossa comissão, estendendo este apreço a todos os que têm vindo prestar trabalho idêntico por todo o país”.

Apontando as CPCJ’s como “uma ferramenta imprescindível e um dos meios de intervenção que mais fomenta a coesão social”, o autarca não esqueceu as entidades que lhes estão associadas, destacando que “todos os objetivos atingidos têm resultado do esforço de parcerias”.

Por fim, o edil deixou a garantia de que “tudo faremos para que esta rede seja cada vez mais forte e eficaz, apoiando os seus protagonistas, nomeadamente reforçando a nossas medidas de apoio á CPCJ”.

“É do trabalho solidário e coletivo que depende o desenvolvimento do concelho, da região e do país”, concluiu o edil.

Antes do início dos trabalhos, os participantes tiveram ainda a oportunidade de assistir um pequeno apontamento musical, proporcionado pelos alunos do ensino articulado de música do Agrupamento de Escolas Fernão do Pó.

O primeiro painel teve como orador o diretor nacional executivo da CNPDPCJ, José Carlos de Sousa, que abordou a temática “Absentismo Escolar, Violência Doméstica e comportamentos aditivos: interligações”
.
Este painel contou ainda com a intervenção de Fátima Duarte, comissária e formadora da Comissão Nacional de Promoção dos Direitos e Proteção de Crianças e Jovens, a qual versou, particularmente, sobre a questão da Violência Doméstica e suas eventuais implicações junto dos jovens e crianças

Os trabalhos no período da tarde iniciaram-se com a intervenção do presidente da CNPDPCJ, Armando Leandro, à qual se seguiu o painel subordinada ao tema “Sinais de Abusos – Indicadores Psicológicos”, apresentado por Anabela Neves, do Instituto Nacional de Medicina Legal e Ciências Forenses, Lisboa

O encerramento do encontro contou com a intervenção de Rosa Guerra, vereadora dos Assuntos Sociais da Câmara Municipal do Bombarral, que aproveitou para dirigir alguns agradecimentos, nomeadamente aos responsáveis pela organização do encontro, bem como a todas as entidades que têm contribuído para o excelente trabalho que está a ser desenvolvido pela Comissão de Proteção de Crianças e Jovens do Bombarral.
 
 
 
Bombarral diz não ao Bulliyng!
Sensibilização promovida pelo NLAVD e pelo CLDS 3G abrangeu os alunos dos 1º, 2º e 3º ciclos

Tendo em atenção o crescente número de casos de bullying que se tem registado nas escolas portuguesas, o Município do Bombarral, através do NILAVD - Núcleo de Intervenção Local para Área da Violência Doméstica, e o CLDS 3G “Bombarral Social” promoveram, nos dias 13 e 14 de outubro de 2016, uma ação de sensibilização sobre esta problemática.

GALERIA DE FOTOS

A iniciativa teve como público-alvo os alunos dos 1º, 2º e 3º ciclos e os pais, tendo sido dinamizada por Cátia Vaz, educadora social e autora do primeiro jogo de tabuleiro destinado à prevenção do bullying escolar: “A Brincar e a Rir o Bullying Vamos Prevenir”.

A ação foi acompanhada por Rosa Guerra, vereadora dos Assuntos da Câmara Municipal do Bombarral, tendo no final cedido ao diretor do Agrupamento de Escolas Fernão do Pó, Emanuel Vilaça, dois exemplares do referido jogo, ficando um na escola básica e secundária e outro no centro escolar.

A autarca aproveitou a ocasião para realçar e agradecer o trabalho realizado pela dinamizadora da sensibilização, destacando a importância destas ações para que problemáticas como o bulliyng e outras se possam verificar cada vez menos.

Como explicou Cátia Vaz, com esta ação pretendeu-se que “os jovens ficassem a conhecer o que é o bullying na perspectiva de se conseguirem defender”..

Esta aprendizagem foi feita brincando, porque “sabemos que no caso dos jovens a mensagem é mais facilmente assimilada através da realização de actividades mais didácticas”.

E foi com este intuito que Cátia Vaz criou o referido jogo de tabuleiro, através do qual os jovens podem aprender todos os c
onceitos relacionados com o bullying. O jogo tem igualmente uma versão digital, o que para as novas gerações acaba por ser “mais apelativo”.

No âmbito da sua formação académica, Carla Vaz decidiu escolher para tema do seu mestrado o bullying, optando por “fazer uma investigação diferente, baseada nos professores dos 1º e 2º ciclos, que me revelaram que as questões de bullying emergem muito cedo”.

Do resultado obtido na sua tese de mestrado, Carla Vaz retirou “algo mais prático, surgindo a criação deste jogo, que permite falar de bullying de uma forma diferente”.

O objetivo do jogo é chegar ao parque da prevenção, representado por um castelo, onde reina a amizade, a entre-ajuda e a partilha, e “existindo isso o bulliyng é muitas vezes evitado”.

“A ideia é chegar ao fim, obter uma chave dourada para que todos consigam entrar nesse castelo. Se algum jogador tiver mais cartas para atingir o objectivo do que o outro, deve ajudar e partilhar, ou seja, deve ser amigo e ao ser amigo não há tempo para que se faça bulliyng”, acrescentou.

Além dos alunos dos 1º e 2º ciclos, cuja ação se centrou no jogo de tabuleiro, Carla Vaz dinamizou igualmente ações para os estudantes do 7º ano, bem como para os pais. Neste último caso, foi feita uma abordagem à importância da prevenção ser feita também em casa, apresentando os sinais que nos indicam que uma criança está a ser vítima de bulliyng.

Questionado sobre qual a situação atual do país, Carla Vaz afirma que a situação é preocupante, não só em Portugal como em todo o mundo, e nesse sentido “a minha vinda à escola não foi para dizer que o bulliyng existe mas sim para prevenir”.

O trabalho de prevenção que Carla Vaz tem vindo a realizar já ultrapassou fronteiras, estando o seu jogo já a ser utilizado em países como o Luxemburgo, França, Brasil, Angola, entre outros.
 
 
 
Jovens preencheram o verão com trabalho voluntário
Através do Banco Local de Voluntariado, os jovens colaboraram nas atividades promovidas pelo NILAVD e pelo Municipio do Bombarral

No passado dia 23 de setembro realizou-se a entrega de diplomas aos/ás voluntários/as que colaboraram, através do Banco Local de Voluntariado, com o NILAVD e o Municipio do Bombarral nas atividades de verão.


Foram quatro os/as jovens que estiveram desde junho até setembro a participar ativamente no atelier do NILAVD das férias desportivas “verão 2016” e nas “Tertúlias de Verão” no lar do Centro Social e Paroquial do Bombarral.

O atelier “Gente Pequena, Gente Capaz. A brincar vamos pensar os Direitos Humanos” foi dinamizado entre junho e setembro e tinha como principais objetivos a compreensão dos Direitos Humanos (o que são, para que servem e que papel temos na sua promoção) e a sensibilização das crianças para a participação cívica.

Este foi um atelier lúdico - pedagógico que, através de dinâmicas de grupo e jogos pedagógicos, permitiu que a brincar se fosse pensando sobre questões tão importantes como os direitos das crianças, participação, igualdade de oportunidades e de género, discriminação, diversidade cultural, ambiente, desporto, cultura, etc.

As “Tertúlias de Verão” foi uma iniciativa realizada no lar do Centro Social e Paroquial do Bombarral, que convidou o NILAVD a promover sessões de debate com os/as idosos/as do lar.

As tertúlias tiveram como principais objetivos a promoção das relações interpessoais, o desenvolvimento de competências de comunicação e escuta ativa bem como a sensibilização para diferentes problemáticas sociais como a violência doméstica, desemprego, mudanças sociais que se verificaram nos últimos anos, etc.

Estas iniciativas tiveram um colorido diferente graças ao apoio e dedicação da Maria Reis, da Valéria Dionísio, do Bruno Correia e da Ana Pinto a quem agradecemos publicamente.

A entrega de diplomas foi realizada na sala do NILAVD com a presença da vereadora dos Assuntos Sociais, Rosa Guerra, que se sente orgulhosa do trabalho e empenho destes jovens e deseja que o trabalho no Banco Local de Voluntariado continue com estes e mais jovens!
 
 
 
Primeira Mostra Bombarral
O evento foi promovido pelo CLDS 3G "Bombarral Social" com o apoio do Município do Bombarral e da Associação Bombarral Sustentável

Os Claustros do Palácio Gorjão acolheram, nos dias 17 e 18 de junho de 2016, a primeira edição do “Mostra Bombarral”, uma iniciativa organizada pelo CLDS 3G "Bombarral Social", com o apoio do Município do Bombarral e da Associação Bombarral Sustentável.

GALERIA DE FOTOS


O primeiro dia foi dedicado às vertentes da formação e da empregabilidade, fomentando a partilha entre quem procura e oferece trabalho, através de ações de divulgação de oportunidades concretas de emprego, formação e de apoio à empregabilidade.

Para além da presença de diversas entidades ligadas a esta área, ao longo do dia tiveram lugar várias sessões temáticas, nas quais se abordou o acesso e ingresso ao ensino superior, a rede “Eures”, bem como as questões relacionadas com o trabalho temporário e com os direitos e deveres do trabalhador.

No dia seguinte o grande objectivo foi “mostrar” o que o Bombarral tem de melhor para oferecer, com a presença de vários artesãos locais, que tiveram aqui oportunidade de apresentar o seu trabalho, assim como de produtores com licores, vinhos, doçaria, enchidos, queijos, entre outras iguarias.

Na abertura do evento, que aconteceu na manhã do dia 17, Carlos Moreira, coordenador do CLDS 3G, aproveitou para apresentar este projecto de âmbito social, cuja coordenação está a cargo do Centro Social Paroquial do Bombarral, em parceria com a Associação LeaderOeste.

A sessão inaugural contou ainda com a intervenção de Rosa Guerra, vereadora da autarquia com o pelouro dos Assuntos Sociais, que começou por recordar os vários passos que foi necessário dar para conseguir que o concelho do Bombarral fosse contemplado com este Contrato Local de Desenvolvimento Social (CLDS).

A autarca fez ainda questão de felicitar os técnicos que integram o CLDS 3G “Bombarral Social”, realçando que “estão a fazer um trabalho excelente nas várias áreas de intervenção”.

Rosa Guerra desejou ainda que com a chegada do CLDS ao Bombarral se consiga “dar as respostas que as famílias precisam”.

Por sua vez, José Manuel Vieira, presidente da Câmara Municipal do Bombarral, destacou a “importância extrema” deste evento para o concelho, a começar pela questão do emprego, “uma necessidade que existe, infelizmente, em maior número do que se possa pensar”.

O edil destacou ainda a importância da iniciativa para a divulgação e promoção dos produtos locais, reforçando a grande mais valia que foi juntar no mesmo espaço diversas entidades ligadas às áreas da empregabilidade e da formação.

Por fim, José Manuel Vieira deixou uma mensagem de esperança, afirmando que “juntos vamos conseguir ter um Bombarral melhor, mais rico no capítulo social e com maior capacidade económica”.
 
 
“Ainda não estamos onde queríamos estar”
Associação de Estudantes e NILAVD promoveram debate sobre a igualdade de género


A Associação de Estudantes da Escola Básica e Secundária Fernão do Pó e o Núcleo de Intervenção Local para a Área da Violência Doméstica do Bombarral promoveram, no dia 30 de maio de 2016, um debate subordinado à temática da “Igualdade de Género”.

GALERIA DE FOTOS

Entre os vários oradores convidados, é de realçar a participação de Teresa Morais, deputada da Assembleia da República, que nos dois anteriores Governos Constitucionais tutelou as áreas da igualdade e da cidadania.

Com moderação de Emanuel Vilaça, diretor do Agrupamento de Escolas Fernão do Pó, a primeira intervenção pertenceu a Rosa Guerra, vereadora da Câmara Municipal do Bombarral com o pelouro dos Assuntos Saciais.

A autarca começou por recordar a reabertura do NILAVD, que aconteceu em maio de 2015 com presença de Teresa Morais, na altura desempenhando as funções de secretária da Estado dos Assuntos Parlamentares e da Igualdade.

Sobre o núcleo, Rosa Guerra elogiou o trabalho que tem sido realizado “com muito empenho e dinamismo”, e salientou o interesse evidenciado pelo Município pela área da igualdade, como demonstra, entre outras ações, a elaboração do Plano Municipal para a Igualdade.

“Ainda não estamos onde queríamos estar”

Por sua vez, Teresa Morais, começou por afirmar que além de ser um “princípio fundamental” da Constituição Portuguesa, “é um dever do Estado promover a igualdade entre homens e mulheres, designadamente no que diz respeito à sua participação politica”.

Neste capítulo, a deputada considera que se fez um “caminho muito importante e hoje estamos numa situação muito diferente”, como demonstra o facto de Portugal ter entrado, em 2015, no grupo de países dos 30% Mais, ou seja, que têm uma representação de mulheres nos respectivos Parlamentos de mais de 30 %, sendo que no caso de Portugal a percentagem é de 34,5%.

Apesar deste “progresso assinalável”, Teresa Morais afirma que “ainda não estamos onde queríamos estar”, defendendo que o ideal seria “termos a paridade, algo que ainda não temos e nem nenhum país do mundo tem”.

A deputada afirmou ainda que esta é uma matéria relativamente à qual “não pode haver quebras de atenção, porque podemos regredir com muita facilidade” e nesse sentido é necessário uma “sociedade mais exigente” em relação às questões da igualdade.

No âmbito das empresas, Teresa Morais lamentou o facto “da maior parte” ser ainda “bastante pouco sensível” em relação às questões da igualdade, nomeadamente ao nível da “criação de uma verdadeira igualdade de oportunidades de acesso a cargos de decisão de topo e da conciliação entre a vida profissional, pessoal e familiar”.

Seguiu-se a intervenção de Claudia Pereira, presidente da Assembleia-geral da Associação de Estudantes, que abordou o inquérito sobre igualdade de género realizado junto dos alunos do 5º ao 9º ano de escolaridade e cujos resultados vieram demonstrar que ainda “há muitos preconceitos e muitos estereótipos”.

Estando à atual direcção e final de mandato, a estudante aproveitou para deixar um apelo, no sentido dos seus sucessores “continuarem a trabalhar estas questões, para que nunca cheguem a ver a situação com a qual nós nos deparamos”.

“Somos todos diferentes mas não podemos ser diferenciados”

Rute Correia, psicóloga clínica do NILAVD, foi a oradora que se seguiu, tendo efectuado uma breve apresentação do núcleo, do trabalho que tem sido desenvolvido, bem como dos serviços que tem ao dispor da população.

Como recordou, o NILAVD surgiu em 2010 para dar resposta às situações de violência doméstica, tendo mais recentemente alargado o seu âmbito à violência de uma forma geral, à não-discriminação e à igualdade de género.

Rute Correia considera que ainda há um “longo caminho a percorrer” no que diz respeito à “igualdade de oportunidades” entre homens e mulheres” e concluiu afirmando que “somos todos diferentes mas não podemos ser diferenciados”.

Seguidamente falou a psicóloga clínica Sandra Vilaça, cuja intervenção se centrou na realidade que vive no seu dia-a-dia em termos profissionais, partilhando com os presentes alguns aspectos mais curiosos no que diz respeito às questões da igualdade.

Na opinião de Sandra Vilaça, “há ainda muito trabalho a fazer, em primeiro lugar com os pais, uma vez que são eles que educam as crianças e que de uma forma ou de outra lhes passam representações que ainda estão muito enviesadas, mas também com as crianças”.

Seguiu-se o período de debate, o qual foi aproveitado pelo presidente da Câmara Municipal do Bombarral, José Manuel Vieira, para felicitar a Associação de Estudantes e o NILAVD pela iniciativa, destacando a importância do tema abordado, bem como para realçar o trabalho desenvolvido pela deputada Teresa Morais nesta e noutras áreas.

Presente no evento esteve também a vereadora Norberta Santos, que partilhou com os presentes o diálogo que mantém com os mais novos, enquanto catequista, acerca da temática da igualdade de género.

Em resposta às intervenções do público, Teresa Morais salientou a importância de se criar uma campanha que promova a partilha de tarefas, uma vez que “a mulher auto-limita-se por ter de escolher entre a família e o trabalho”, e defendeu a necessidade de se “criarem equipamentos de apoio nas próprias empresas”, nomeadamente espaços onde seja possível deixar as crianças.
 
 
Secretária de Estado para a Cidadania e a Igualdade visitou o Bombarral
A governante foi recebida nos Paços do Município e visitou a Escola Básica e Secundária


Catarina Marcelino, secretária de Estado para a Cidadania e a Igualdade, visitou, no passado dia 18 de maio de 2016, o concelho do Bombarral, a convite da Associação de Estudantes da Escola Básica e Secundária Fernão do Pó e do NILAVD – Núcleo de Intervenção Local para a Área da Violência Doméstica.


GALERIA DE FOTOS

A visita iniciou-se com uma receção no Salão Nobre dos Paços do Município, numa cerimónia que contou com a presença do presidente da autarquia, José Manuel Vieira, do vice-presidente Nuno Mota da Silva, das vereadoras Maria de Los Angeles, Norberta Santos e Rosa Guerra e dos vereadores António Marcelino e Luís Duarte.

Ao presidente da edilidade coube dar as boas vindas, tendo na sua intervenção destacado a “relação de proximidade entre a Câmara Municipal e a Secretaria de Estado para a Cidadania e a Igualdade, que tem sido muito profícua, como compravam algumas conquistas recentes, como por exemplo a implantação do NILAVD”.

A autarca salientou ainda que, além das questões relacionadas com a violência doméstica, “o NILAVD alargou o seu trabalho às áreas da violência de um forma geral, da igualdade de género e da não-discriminação, proporcionando os serviços de apoio psicológico, jurídico e social”.

Ainda sobre este serviço, cuja reabertura ocorreu há cerca de um ano, Rosa Guerra, vereadora da Câmara Municipal com o pelouro dos Assuntos Sociais, explicou que “temos apostado numa intervenção mais próxima da comunidade, desenvolvendo ações de intervenção em situações de violência e de prevenção, além da realização de várias sensibilizações vocacionadas para diferentes faixas etárias”.

Aproveitando a presença da secretária de Estado para a Cidadania e a Igualdade, a autarca desafiou a governante a ajudar o NILAVD a tornar-se “num ponto charneira no apoio às vítimas na Comunidade Intermunicipal do Oeste”, tendo ainda solicitado o “apoio na certificação das pessoas envolvidas no atendimento e o reforço dos recursos humanos”.

Por sua vez, a secretária de Estado para a Cidadania e a Igualdade afirmou estar “bastante agradada com o trabalho que está a ser realizado no Bombarral”, tendo demonstrado a sua satisfação pelo facto da autarquia e das várias entidades ligadas as estas matérias estarem “empenhadas no sentido de termos uma sociedade mais justa, mas equilibrada e não-violenta”.

Seguidamente, a governante abordou alguns temas que a preocupam como é o caso das Casas Abrigo, defendendo que as estruturas de apoio às vítimas “devem ter sustentabilidade para lá do financiamento comunitário, porque se não houver dinheiro comunitário estes projetos correm o risco de fechar portas e nesta área isso não pode acontecer”.

Outra das questões que preocupa Catarina Marcelino prende-se com o desequilíbrio existente no país em termos de respostas, as quais “estão muito assentes no litoral”.

Em resposta a esta situação, a estratégia do atual Governo “passa pela criação de gabinetes de apoio à vítima intermunicipais no interior do país, estruturadas a partir de organizações não-governamentais e com o apoio dos Municípios”.

Como salientou a governante, a criação de gabinetes de apoio tem como grande objetivo evitar que as vítimas tenham que ir para uma Casa Abrigo. Segundo afirmou Catarina Marcelino, “a Casa Abrigo tem que ser a última resposta e não a primeira”.

Outra das metas a atingir é a criação de um Plano de Igualdade Intermunicipal, tendo em conta a necessidade de “termos respostas em termos de prevenção”, uma vez que através deste plano está implícita “a realização de formação aos agentes, de sensibilizações nas escolas, reunindo toda a comunidade na defesas das questões da igualdade, da não-discriminação e consequentemente da não-violência”.

No que se refere ao concelho do Bombarral, este trabalho já foi iniciado, estando já em fase de elaboração um Plano Municipal da Igualdade.

Por fim, a governante elencou outras das prioridade e que se prende com a educação para a cidadania, estando a ser constituído um grupo de trabalho no sentido de “podermos desenhar um projecto para a escola pública, a começar já no próximo ano, que permita uma intervenção mais concertada na prevenção da violência”.

Depois de visitar o espaço do NILAVD, a secretária de Estado seguiu para a Escola Básica e Secundária Fernão do Pó onde esteve à conversa com os alunos sobre a igualdade de género, a violência no namoro, a lei da paridade, entre outros temas.

A visita da secretária da Estado inseriu-se no trabalho que a Associação de Estudantes tem vindo a desenvolver nesta área, nomeadamente no contacto que a associação tem tido com os alunos dos 2º e 3º ciclos no sentido de “percebermos como é que está a questão de igualdade de género na nossa escola e verificamos que ainda não estamos no patamar ideal”, explicou a aluna Cláudia Pereira.

Deste contacto, a estudante confidenciou-nos algumas das respostas dadas pelos mais pequenos, como por exemplo “o meu pai é agricultor e a minha mãe cuida da casa, o homem que bate na mulher vai para a cadeia, mas à mulher que bate no homem não lhe acontece nada, ouvimos ainda que as mulheres são carinhosas e meigas, enquanto os homens são brutos e fortes, entre outras”.

Como reconhece Cláudia Pereira, ainda há muito trabalho a fazer nesta área e nesse sentido deixa o desejo de que a próxima direcção da Associação de Estudantes possa continuar atenta a estes assuntos.
 
 
Igualdade de género no trabalho
NILAVD promoveu ação de sensibilização para os colaboradores e colaboradoras da Câmara Municipal do Bombarral

A convite do Núcleo de Intervenção Local para a Área Violência Doméstica, a Comissão para a Igualdade no Trabalho e no Emprego (CITE) promoveu uma ação de sensibilização sobre a temática da igualdade de género no trabalho, destinada aos colaboradores e colaboradoras da Câmara Municipal.

      

Na abertura da sessão, Rosa Guerra, vereadora da Câmara Municipal do Bombarral com o pelouro dos Assuntos Sociais, recordou que “temos feito várias sensibilizações, normalmente de dentro para fora mas há temáticas, como esta, que também é importante trabalhar internamente”.

Seguidamente a autarca fez uma breve apresentação da CITE, entidade que tem por missão a defesa da igualdade e da não-discriminação entre homens e mulheres no trabalho, no emprego e na formação profissional.

Destacou ainda que a realização desta iniciativa teve por finalidade comemorar o Dia do Trabalhador, que assinala anualmente no dia 1 de Maio, bem como sensibilizar os colaboradores e as colaboradoras da autarquia para as questões da igualdade de género no trabalho.

Em suma, como frisou Rosa Guerra, “pretende-se nivelar as desigualdades existentes ao nível da situação das mulheres no mercado de trabalho, assim como ao nível da conciliação entre a vida profissional, familiar e pessoal”.

Ana Corado, técnica do CITE, foi a oradora convidada, tendo começado por destacar a importância e o contributo destas iniciativas para que Portugal se torne “num país mais igualitário”.

Prosseguindo, a técnica frisou que “as questões de igualdade de género não são questões de mulheres”, salientando que a CITE “trabalha as questões de igualdade entre homens e mulheres, reconhecendo o igual valor social que os homens e as mulheres têm”.

A forte ligação desta temática às mulheres deve-se ao facto de ainda hoje “se fazer sentir, de forma evidente, algumas desigualdade no mundo do trabalho, mas há outras esferas que estão relacionadas com o todo que nós somos, enquanto indivíduos, que também transportam desigualdades para o lado dos homens”.

Ao fim de contas, como salientou Ana Corado, o que se “pretende é que no mercado de trabalho exista uma participação equilibrada entre homens e mulheres, com oportunidades e direitos iguais”.

Ainda no âmbito da temática da igualdade de género, os colaboradores e as colaboradoras da autarquia frequentaram, no mês de maio, uma ação de formação, ministrada por técnicos da Comissão para a Cidadania e a Igualdade de Género, com vista à elaboração do Plano Municipal da Igualdade. 
 
 
Nobre entregou mais produtos alimentares
Produtos destinam-se às associações do concelho do Bombarral que apoiam as famílias carenciadas

A empresa Nobre Alimentação, Lda. entregou recentemente, ao Município do Bombarral, mais algumas centenas de embalagens de produtos de charcutaria para serem distribuídas pelas várias associações do concelho que se dedicam, em regime de voluntariado, ao apoio a famílias carenciadas.

A oferta destes produtos alimentares surge na sequência dos contactos efectuados pela vereadora da Câmara Municipal do Bombarral com o pelouro dos Assuntos Sociais, Rosa Guerra, com a referida empresa.

Como realçou a autarca, “tenho procurado desenvolver contactos com várias empresas, dentro e fora do concelho, com o intuito de solicitar o seu apoio com vista a colmatar as carências das famílias”.

Segundo referiu, a atual situação económica que o país atravessa tem contribuído para o “aumento do número de famílias carenciadas” e nesse sentido “temos de desenvolver trabalho, articulando e congregando esforços, para conseguirmos minimizar estas dificuldades”.

A distribuição dos bens alimentares pelas famílias mais necessitadas esteve a cargo de várias instituições de solidariedade social do concelho. 
 
 
Discriminação racial é crime
NILAVD e GNR promoveram ação de sensibilização sobre esta temática

O Núcleo de Intervenção Local para a Área da Violência Doméstica e a Guarda Nacional Republicana promoveram, no passado dia 26 de abril de 2016, uma ação de sensibilização sobre Discriminação Racial.

[+] Fotos

Na abertura da sessão, Rosa Guerra, vereadora da Câmara Municipal do Bombarral, começou por destacar que “tem sido uma preocupação do pelouro dos Assuntos Sociais e do NILAVD debater algumas temáticas que por vezes nos passam ao lado e sobre as quais nunca é demais falar”.

“Embora a nossa Constituição diga que somos todos iguais, na nossa sociedade, no nosso dia-a-dia não é sempre assim que acontece”, lamentou a autarca.

Apesar de tudo, segundo frisou Rosa Guerra, “Portugal tem feito alguns progressos nesta matéria”, e focou, a título de exemplo, “a proposta legislativa que vai ser analisada pela Assembleia da República no sentido de podermos ter uma legislação mais adequada para que as situações de discriminação sejam eliminadas”.

Finalizando, a autarca elencou alguns dados estatísticos, referindo que em 2014 foram apresentadas 60 queixas de discriminação racial: 20 % aconteceram no local de trabalho, 12,4 % no atendimento e 12,2 % pelas forças de segurança.

Seguiu-se a intervenção de Rute Correia, psicóloga a desenvolver trabalho no município do Bombarral e no NILAVD, que fez uma comunicação sobre os conceitos de intolerância e discriminação, enquadrando o racismo como uma das formas de discriminação.

Procurou, por um lado, perceber quais as opiniões dos/as presentes sobre o significado de Racismo, partindo depois para uma breve explicação sobre diferentes formas de discriminação e intolerância existentes na nossa sociedade.

Terminou fazendo uma explanação sobre o papel da psicologia social no estudo destes fenómenos sociais, apresentando uma série de experiências realizadas que procuram explicar o que origina comportamentos discriminatórios e violentos.

Outro dos intervenientes foi o cabo João Frango, da secção de programas especiais da Guarda Nacional Republica, que iniciou a sua intervenção com o poema “Lágrima de Preta”, de António Gedeão, lido pela vereadora Rosa Guerra, que transmite a mensagem de que somos todos/as iguais independente da cor da pele.

Dentro desta temática, o militar GNR falou sobre práticas discriminatórias, sobre a origem das atitudes racistas, apresenando alguns exemplos da nossa história e da atualidade, como é o caso do conflito de Darfur. Abordou ainda os tipos de discriminação, realçando o que está consagrado na lei.

Seguidamente, teve lugar um breve período de debate, que foi aproveitado pela vereadora Rosa Guerra para recordar uma frase proferida por Nelson Mandela.

“Ninguém nasce a odiar outra pessoa devido à cor da sua pele, ao seu passado ou religião. As pessoas aprendem a odiar, e, se o podem fazer, também podem ser ensinadas a amar, porque o amor é mais natural no coração humano do que o seu oposto”, referiu o ex-presidente da África do Sul.
 
 
Voluntários/as precisam-se!
NILAVD promoveu formação sobre voluntariado

No âmbito da campanha de angariação de voluntários/as, o NILAVD – Núcleo de Intervenção Local para a Área da Violência Doméstica, em parceria com o CLDS 3G – Contrato Local de Desenvolvimento Social de 3ª Geração “Bombarral Social”, promoveu recentemente uma formação inicial para pessoas interessadas em fazer voluntariado.

GALERIA DE FOTOS

A iniciativa decorreu na antiga escola primária do Bombarral, sede do CLDS, nos dias 31 de março, 1 e 2 de abril de 2016 e contou com a participação de 14 formandos/as.

A sessão de abertura da formação contou com a presença de Rosa Guerra, vereadora da Câmara Municipal do Bombarral com o pelouro dos Assuntos Sociais, que aproveitou a ocasião para elencar algumas das ações desenvolvidas no presente mandato.

Uma delas foi o NILAVD, tendo a autarca reforçado a importância de reactivação do Núcleo, para dar resposta ás situações de violência existentes no concelho mas também pela importância que pode assumir na área da prevenção da violência e na promoção da igualdade de género.

Outra das ações concretizadas foi a aprovação, para o Bombarral, do Contrato Local de Desenvolvimento Social de 3ª Geração, tendo a autarca elencado os passos que foram dados, ao longo de cerca de um ano, para a concretização deste objectivo.

Como explicou Rosa Guerra, o CLDS 3G “Bombarral Social” tem a duração de três anos e “o que eu desejo é que o projecto se desenvolva até ao fim e tenha sucesso”, referiu a autarca, acrescentando que “no final quero que se diga que o Bombarral teve um CLDS e que este trouxe respostas positivas para a população”.

A autarca destacou ainda a importância da divulgação deste projecto, afirmando que “o CLDS é muito importante para o Bombarral e temos de passar a mensagem de este que vai trazer uma série de valências e de respostas muito relevantes para toda a comunidade”.

Seguidamente, Carlos Moreira, coordenador do CLDS 3G “Bombarral Social”, falou mais em pormenor sobre as suas valências e sobre as atividades que vão acontecer nos próximos meses.

Quanto à formação, a ideia da sua realização prendeu-se com a importância de preparar as pessoas para participar e desenvolver acções na comunidade.

Com recurso à metodologia da educação não formal, foram desenvolvidas várias actividades que promoveram o trabalho em equipa e o espírito de grupo, a mudança de mentalidades, a reflexão e o questionamento.

Foram abordadas temáticas como Direitos Humanos, Participação, Voluntariado, Cidadania e Igualdade de Oportunidades.

De forma mais especifica, os formandos/as ficaram a conhecer o trabalho do NILAVD e do CLDS e consequentemente as possíveis áreas de intervenção dos/as voluntários/as nestas entidades, nomeadamente Igualdade de Género, Área Social, Violência, Saúde, entre outras.

O final da formação, consistiu na construção por parte dos/as participantes de um projecto que gostariam de desenvolver na comunidade e a apresentação das actividades nas quais poderiam participar.

Segundo Rute Correia, técnica do município integrada no NILAVD, “foi uma formação muito dinâmica e participada, onde os/as participantes partilharam imensas ideias e se mostraram motivados para desafios futuros”.

“Da avaliação dos/as participantes foi possível perceber que gostaram e estavam muito satisfeitos e surpreendidos com as metodologias utilizadas na formação”, acrescentou.

Para Rute Correia, tratou-se de “uma experiência muito interessante, um grupo heterogéneo mas cheio de energia. A equipa de formação funcionou muito bem e espero que este seja só o primeiro passo de muitos que podemos dar”.
 
 
CLDS 3G “Bombarral Social” já está em funcionamento
Projecto de intervenção social conta com um financiamento de cerca de meio milhão de euros

A população do concelho do Bombarral conta, desde o início de fevereiro, com um novo projecto de intervenção social, cuja principal missão é promover a inclusão social dos munícipes através de ações estrategicamente planeadas, a desenvolver em rede.

Designado “Bombarral Social”, o referido projecto é um Contrato Local de Desenvolvimento Social, 3ª geração (CLDS 3G), atribuído no âmbito de uma candidatura que conta com um financiamento de cerca de meio milhão de euros.

O projeto tem o Centro Social Paroquial do Bombarral como Entidade Coordenadora Local da Parceria e a Leader Oeste como Entidade Executora Local da Parceria.

Como destacou Carlos Moreira, coordenador do CLDS 3G, este é um projecto que surge por “iniciativa da vereadora dos Assuntos Sociais da Câmara Municipal do Bombarral, Rosa Guerra, que através do contacto com várias entidades conseguiu que o Bombarral fosse sinalizado por parte da Segurança Social como área prioritária de intervenção social”.

“Felizmente o esforço despendido valeu a pena, tendo o concelho do Bombarral sido sinalizado como um território com situações críticas de pobreza, particularmente a infantil”, acrescentou.

Face a esta sinalização, o “Município prestou desde logo apoio a esta iniciativa para procurar implementar uma estratégia de combate aos flagelos do desemprego, da exclusão social, do abandono escolar e da pobreza infantil”, referiu Carlos Moreira.

Além da questão da pobreza, “por sugestão da vereadora Rosa Guerra as ações do CLDS 3G também têm uma vertente de apoio aos produtores locais e empresas, com vista a dinamizar o empreendedorismo e a economia local”, acrescentou o coordenador.

A estratégia do CLDS 3G “Bombarral Social” vai consistir num trabalho baseado nas parcerias, na colmatação das necessidades locais e de uma estratégia apropriada de abordagem e intervenção das problemáticas.

Os princípios de intervenção assentam nos pressupostos da intervenção multidisciplinar baseada na proximidade, na resposta centrada na problemática e na itinerância dos técnicos.

Assim, pretende-se criar e dinamizar ações que têm como objetivo desenvolver uma série de atividades divididas por três eixos de intervenção, como previsto no Plano de Ação do CLDS 3G Bombarral: Emprego, Formação e Qualificação (1º Eixo), Intervenção familiar e parental, preventiva de pobreza infantil (2º Eixo) e Capacitação da comunidade e das instituições (3º Eixo).

A equipa técnica que constitui este projeto é multidisciplinar, e ambiciona promover uma resposta integrada aos problemas identificados na comunidade. Esta composta pelos seguintes elementos: Carlos Moreira (Coordenador), Paula Silva (Gestora), Carla Leitão (Técnica Emprego), Susana Martins (Psicóloga Clínica) e Ivo Romão (Educador Social).

Tendo em conta a importância do trabalho em rede, a equipa do CLDS 3G tem estado em permanente contacto com diversas entidades, nomeadamente com o Instituto de Emprego e Formação Profissional, o Agrupamento de Escolas Fernão do Pó, a Comissão de Protecção de Crianças e Jovens do Bombarral (CPCJ), o Núcleo de Intervenção Local para a área da Violência Doméstica (NILAVD), o Centro de Saúde do Bombarral, entre outras.

Do trabalho que tem sido desenvolvido é de destacar o encaminhamento, para o CLDS 3G, de cerca de oito dezenas de desempregados, tendo sido atendidos pela equipa técnica de forma individual e descentralizada nos edifícios das várias Juntas de Freguesia do concelho.

De momento, as pessoas atendidas estão a ser divididas por vários grupos, com os quais serão desenvolvidas ações de aquisição de competências pessoais e profissionais, nas áreas da motivação, da procura ativa de emprego, da legislação laboral, entre outras.

Além das questões relacionadas com a procura de emprego, alguns utentes têm igualmente recorrido aos serviços que o CLDS disponibiliza, através da sua técnica de psicologia, ao nível da intervenção familiar e parental.

Ainda no âmbito da intervenção familiar e parental é igualmente de referenciar o encaminhamento para o CLDS de vários casos por parte do Agrupamento de Escolas Fernão do Pó, do Centro de Saúde e da Equipa de Intervenção Precoce do Bombarral/Peniche.

Como salientou Carlos Moreira, “o CLDS veio colmatar uma lacuna que existia nesta área em termos de resposta ao nível dos serviços públicos e que era inexistente para crianças dos 0 aos 11 anos de idade”.

Apesar de estar em actividade há apenas um mês e meio, como realçou a autarca, “são muitas as pessoas que, a título individual, se têm deslocado à sede do CLDS à procura de ajuda em diversas áreas e que se encontram já a ser acompanhadas pela equipa técnica”.

Actividades em agenda

No âmbito do desenvolvimento da sua atividade, o CLDS conta já com várias iniciativas agendadas a pensar na comunidade do concelho do Bombarral.

Numa parceria com o NILAVD, vão ser desenvolvidas várias ações dirigidas à comunidade escolar sobre igualdade e violência doméstica, assim como a ação de formação intitulada “Ser Voluntário”, que decorreu na sede do CLSD nos dias 31 de março, 1 e 2 de abril. Ao nível do voluntariado, estão igualmente a ser preparadas algumas iniciativas vocacionadas para a escola.

Já no dia 5 de abril, teve lugar um Workshop de Técnicas de Procura de Emprego, que irá decorrer em cinco sessões. Os interessados poderão obter mais informações junto dos técnicos do CLDS:

Para dia 7 de abril está a agendado o Dia da Saúde em Movimento, evento que irá decorrer na Escola Básica e Secundária Fernão do Pó, no Bombarral.

Já no dia 16 de abril, entre as 15 e as 18 horas, os Claustros do Palácio Gorjão recebem o evento “Sábado Saudável”, uma iniciativa destinada à comunidade em geral que consiste na realização de vários rastreios e workshops e prática de atividade física.

Entre 22 de abril e 17 de Julho, o CLDS vai igualmente promover um Concurso de Fotografia Digital, intitulado “A Natureza que me envolve”, que tem o intuito de promover o património natural do concelho do Bombarral.

Embora a sua designação ainda esteja a ser definida, outro dos eventos já idealizados irá acontecer nos dias 17 e 18 de junho nos Claustros do Palácio Gorjão.

O primeiro dia será dedicado à empregabilidade e tem por objectivo promover o contacto entre a comunidade e o sector empresarial, contando o evento com a participação de várias empresas locais e da região, de entidades ligadas à área da formação, de escolas profissionais, bem como de entidades com o estatuto de Instituição Particular de Solidariedade Social.

No dia seguinte, o evento está mais vocacionado para a promoção do concelho, nomeadamente dos produtores e artesãos locais, dos produtos regionais, bem como do movimento associativo, e contará com vários apontamos de animação.

O CLDS 3G “Bombarral Social” está sediado nas instalações da antiga escola primária do Bombarral (frente ao antigo campo futebol do Bombarralense), o horário de atendimento é das 09:30 às 17:30 horas e os contactos podem ser efetuados pelos telefones: 262 099 761 / 912 498 431 ou pelo email: cldsbombarral@gmail.com.
 
 
"A Mulher e a Sociedade" foi tema de debate
Iniciativa juntou cerca de oito dezenas de pessoas Auditório da Escola Básica e Secundária Fernão do Pó, no Bombarral

No âmbito do Mês da Juventude do Oeste, realizou-se na passada segunda-feira, dia 14 de março de 2016, um debate sobre "A Mulher e a Sociedade", evento que reuniu no Auditório da Escola Básica e Secundária Fernão do Pó, no Bombarral, cerca de uma centena de pessoas.

GALERIA DE FOTOS

A iniciativa inseriu-se igualmente nas comemorações do Dia Internacional da Mulher, que se assinalou no dia 8 de março, e foi promovida pelo Município do Bombarral, pelo NILAVD – Núcleo de Intervenção Local para a Área da Violência Doméstica e pelo Agrupamento de Escolas Fernão do Pó (AEFP).

A abertura da sessão esteve a cargo da vereadora do Pelouro dos Assuntos Sociais da Câmara Municipal do Bombarral, Rosa Guerra, tendo o debate sido moderado por Emanuel Vilaça, director do AEFP.

Na sua intervenção, Rosa Guerra salientou que a abordagem deste tema não acontece “por estar na moda” mas sim porque se trata de “problemáticas que ainda são atuais”.

Recorrendo a um livro com acontecimentos datados de 1908, a autarca destacou o facto de nessa época haver no Bombarral mulheres a secretariar Comícios Republicanos, nos quais já se abordavam temáticas relacionadas com “as reivindicações femininas” e a “emancipação das mulheres.

“Já em 1908 o Bombarral trabalhava essas matérias”, frisou Rosa Guerra, acrescentando que “no século XX houve grandes conquistas ao nível dos direitos das mulheres, nomeadamente o acesso à educação, o direito à contracepção, o direito ao voto, o direito a eleger e ser elegível para os cargos municipais, o desempenho de funções na administração pública, a abolição das leis que proibiam às mulheres o acesso a determinadas carreiras, a entrada no mercado de trabalho, assim como na investigação cientifica”.

Na opinião da autarca “ainda existe alguma desigualdade entre as mulheres e os homens, logo é pertinente e faz sentido debater esta matéria”, afirmando, a título de exemplo, que “a mulher tem dois empregos, aquele pelo qual é remunerada e o trabalho de casa”.

“São as mulheres que continuam a ser principais cuidadores dos filhos, despendendo mais cinco horas diárias de trabalho em relação aos homens”, referiur a vereadora, evidenciando que “no entanto há excepções”.

Por fim, Rosa Guerra realçou que estes debates “não são só para as mulheres, também são para os homens, porque a igualdade de género é acima de tudo uma questão de direitos humanos”.

A primeira oradora a intervir foi Fátima Coelho, coordenadora do Sector dos Assuntos Sociais e Saúde da Câmara do Bombarral. A sua apresentação versou sobre o “Dia Internacional da Mulher - do passado ao presente”, tendo a técnica destacado algumas das datas mais relevantes da luta das mulheres pela igualdade.

Seguiram-se as estudantes Cláudia Pereira e Sofia Nobre, da Associação de Estudantes do Escola Básica e Secundária Fernão Pó, que abordaram a temática do “Género e Juventude", deixando a mensagem de que os jovens não podem ser colocados de parte na discussão destas matérias.

Outro dos oradores da noite foi Bruno Braz, psicólogo do Centro Humanitário Litoral Oeste Norte, que falou sobre “Violência Intra-familiar"

A sessão contou igualmente com o testemunho de três mulheres com profissões maioritariamente exercidas por homens.

Daniela Silva, motorista da Rodoviária do Oeste, falou sobre como é "Ser mulher num emprego que já foi só de homens!". Se enquanto motorista de autocarro Daniela Silva nunca se sentiu descriminada, o mesmo não aconteceu no período em que foi motorista de camiões de longo curso.

Manuela Baptista, encarregada do Sector do Ambiente da Câmara do Bombarral, abordou o tema "Trabalhar com Homens - uma experiência de vida". A colaboradora da autarquia elencou alguns aspectos que contribuem para que tenha sucesso no desempenho da sua função de chefia.

Por sua vez, a Sargento Sandra Ribeiro, do Núcleo de Investigação e de Apoio a Vitimas Específicas da Guarda Nacional Republicana, falou acerca do "Papel da mulher nas forças policiais - desigualdades em função do género",

Na sua intervenção, elencou algumas alterações que ocorreram com a entrada das mulheres nas forças armadas, recordando que a GNR tem mulheres apenas desde 1994.

Antes da intervenção do público, Rute Correia, psicóloga do NILAVD, fez um resumo das várias intervenções, destacando alguns aspectos para introduzir o debate.

Em jeito de conclusão, e como foi frisado por várias oradoras, apesar das muitas conquistas alcançadas, ainda há muito por fazer para atingirmos a igualdade plena entre mulheres e homens.
 
 
NILAVD e GNR promoveram ações de sensibilização
“Diga NÃO à violência contra a pessoa idosa” nos lares e centros de convívio locais

O Núcleo de Intervenção Local para a Área da Violência Doméstica do Bombarral, em parceria com a Guarda Nacional Republicana, promoveu durante os meses de fevereiro e março ações se sensibilização nos vários lares de terceira idade e centros de convívio do concelho.

GALERIA DE FOTOS

As ações de sensibilização sobre a problemática da violência contra a pessoa idosa arrancaram no Lar de Idosos da Columbeira, seguiu-se o Lar do Centro Social e Paroquial do Bombarral, o Lar Familiar Nossa Senhora da Esperança e, por fim o Centro de Convívio da Santa Casa da Misericórdia, tendo a sessão ocorrido no passado dia 10 de março.

Na primeira ação, esteve presente a vereadora dos Assuntos Sociais da Câmara Municipal do Bombarral, Rosa Guerra, que explicou os objetivos desta iniciativa bem como a importância de abordar estas temáticas.

As ações foram dinamizadas por Rute Correia, psicóloga do NILAVD, que fez um enquadramento da fase de vida em que os/as idosos/as se encontram, salientando as alterações físicas, sociais e psicológicas bem como os desafios do envelhecimento, e pelo Cabo João Frango, da secção de Programas Especiais da GNR, que informou sobre os direitos da pessoa idosa, assim como sobre os vários tipos de violência, que incluem não só a física e a psicológica, mas também a violência financeira, a negligência e o abandono.
 
 
“Onde acaba o amor, tem início o poder, a violência e o terror”
Município do Bombarral e NILAVD promoveram ação de sensibilização sobre violência no namoro

O Município do Bombarral e o Núcleo de Intervenção Local para a Área da Violência Doméstica (NILAVD) promoveram, no passado dia 12 de fevereiro de 2016, uma ação de sensibilização sobre relacionamentos amorosos e a violência no namoro.


A iniciativa decorreu no auditório da Escola Básica e Secundária Fernão do Pó e teve como público-alvo os/as alunos/as do ensino secundário, que se mostraram bastante interventivos/as e informados/as sobre esta matéria.

A abertura da sessão esteve a cargo de Rosa Guerra, vereadora dos Assuntos Sociais da Câmara Municipal do Bombarral, que começou por agradecer a disponibilidade das oradoras convidadas e do diretor, alunos/as e docentes do Agrupamento de Escolas Fernão do Pó, Emanuel Vilaça, bem como ao presidente da Comissão de Proteção de Crianças e Jovens do Bombarral e aos/às professores/as e alunos/as do projeto Universitários 50+ que estiveram presentes na sessão.

A autarca salientou que “a problemática da violência atinge todas as idades e ambos os sexos, acontece entre casais, acontece contra idosos/as ou crianças, ou seja, é um problemática que é transversal a toda a sociedade e nos preocupa diariamente”.

Rosa Guerra salientou ainda o papel da comunidade, alertando que as situações de violência, seja de que tipo for, “não podem ficar no silêncio” e que “todos/as devemos estar sensibilizados/as para a necessidade de denunciar estes casos”.

A autarca defende que é “necessária uma intervenção centrada nas necessidades das vítimas”. Afirmando que a resposta a essas necessidades “depende de vários serviços e entidades”, defende que “tem de haver uma resposta articulada e concertada em rede”.

“Amor não é sinónimo de violência, se existe amor não pode haver violência”, concluiu.

A primeira interveniente foi Isabel Mesquita, psicóloga, psicanalista, docente de psicologia na Universidade de Évora e doutorada em relacionamentos amorosos.

Dos vários tipos de violência, a oradora realçou a ausência de limites e a invasão da privacidade, focando a título de exemplo o acesso ao telemóvel e à palavra-chave das contas nas redes sociais, a proibição de ver amigos ou o controlo do vestuário.

Embora fosse falar sobre violência nos relacionamentos, na perspectiva de Isabel Mesquita “o mais importante era falar de relacionamentos amorosos saudáveis e funcionais.

Isabel Mesquita considera que “os/as jovens ouvem demasiadas coisas sobre violência” e na sua opinião “é importante pensar na violência olhando para dentro e procurando entender que tipo de funcionamentos mentais levam à sua prática”.

A psicóloga explicou que a violência é uma forma de exercício de poder, considerando que “quem agride não é uma pessoa auto-confiante, é alguém com uma baixa auto-estima”.

Quanto à vítima, Isabel Mesquita refere que a maioria vive uma “realidade distorcida”. Segundo explicou, “as vítimas vêem o controlo exercido pelo/a agressor/a como algo bom, porque no seu pensamento isso significa que gosta dela/dele”.

“O mais doloroso emocionalmente para a vítima não é ser agredida, porque apesar de tudo a relação se vai mantendo, o pior é imaginar que não tem amor”, referiu.

No período de debate, a vereadora Rosa Guerra questionou a oradora se “um namorado violento, pode tornar-se num marido agressivo”. Isabel Mesquita afirmou que tal “não acontece necessariamente”.

Seguidamente foi a vez de Rute Correia, psicóloga do NILAVD, que abriu a sua apresentação com uma frase do psiquiatra Carl Jung: “onde acaba o amor, tem início o poder, a violência e o terror”.

Depois de falar mais em pormenor sobre violência, a técnica aproveitou ainda para fazer uma breve apresentação do Núcleo de Intervenção Local para a Área da Violência Doméstica do Bombarral, desafiando os/as alunos/as a fazer voluntariado nesta área e a apresentar os seus projectos e as suas ideias.

No final os/as alunos/as das disciplinas de Cerâmica, Atelier Livres, Artes Decorativas e Autoconhecimento dos Universitários 50+ distribuíram corações e marcadores de livros alusivos aos Dia dos Namorados.

Nota: este texto foi redigido utilizando uma linguagem inclusiva em função do género.
 
 
Idosos do Bombarral festejaram o Carnaval
Evento contou com a participação de várias instituições do concelho

O Município do Bombarral promoveu, no passado dia 4 de fevereiro de 2016, um convívio de Carnaval para os idosos do concelho.


Numa tarde de folia, alegria e muita animação, a iniciativa contou com a presença da vereadora dos Assuntos Sociais, Rosa Guerra, que contagiou com a sua boa disposição os mais de 100 idosos que participaram no evento.


Numa breve intervenção, a autarca congratulou-se com a realização deste convívio, que permitiu “a partilha de amizade, amor e carinho entre todos os participantes”, e aproveitou para agradecer a todas as entidades envolvidas.

Em representação da Santa Casa da Misericórdia do Bombarral, Maria Arminda Sousa aproveitou igualmente para dirigir um agradecimento a todos os que permitiriam a realização deste convívio para “os nossos idosos, que são quem nos move”.

Fugindo aos temas tradicionais de Carnaval, a organização optou por escolher dois intérpretes de géneros musicais mais ao gosto dos idosos, tendo a animação do evento ficado a cargo do acordeonista Acácio Lopes e da fadista Cristina Luz.

No meio de um pezinho de dança, cada instituição apresentou e desfilou com as suas respectivas máscaras, que primaram pela sua originalidade.

Antes do regresso a casa, ou às respectivas instituições, os idosos puderam ainda desfrutar de um lanche.

No evento participaram os utentes da Associação de Solidariedade Social do Pó, do Centro Social Paroquial do Bombarral, do lar de idosos da Columbeira e da Santa Casa da Misericórdia do Bombarral.

Por motivo de doença dos seus utentes, no evento não puderam participar os lares de idosos da Delgada e da Portela.
 
 
Dia Mundial da Terceira Idade
Município do Bombarral assinalou a efeméride com uma atividade intergeracional

O Município do Bombarral, com o apoio do Agrupamento de Escolas Fernão do Pó, assinalou na passada quarta-feira, dia 28 de outubro de 2015, o Dia Mundial da Terceira Idade.

GALERIA DE FOTOS

O evento juntou, num convívio intergeracional, os utentes do Centro Social Paroquial do Bombarral e da Santa Casa da Misericórdia do Bombarral com várias turmas do 2º ano do Centro Escolar do Bombarral.

A abertura do evento esteve a cargo de Rosa Guerra, vereadora da Câmara Municipal do Bombarral com o pelouro dos Assuntos Sociais, acompanhada por Luís Camilo Duarte, coordenador do Centro Escolar.

Como salientou a autarca, a iniciativa teve como principal objectivo sensibilizar os mais novos para o importante papel que os idosos desempenham na nossa sociedade ao nível da troca de saberes e experiências, bem como na transmissão de valores.

A atividade realizou-se no ginásio do Centro Escolar, onde crianças e idosos puderam, em conjunto, experimentar vários jogos tradicionais. Quem também fez questão de se juntar à brincadeira foi a própria vereador Rosa Guerra.

Da actividade é igualmente de registar o momento em que alguns dos petizes, antes de regressarem à sala de aula, fizeram questão de se despedir dando um beijinho a cada idoso, num gesto de grande ternura que com certeza todos guardarão com muito carinho na sua memória.

Para finalizar a atividade, os utentes do Centro Social Paroquial do Bombarral e da Santa Casa da Misericórdia do Bombarral foram convidados para um lanche convívio.
 
 
Bombarral volta a ter um espaço de apoio às vítimas de violência
NILAVD reabriu portas no dia 15 de maio no edifico dos Paços do Município

A secretária de Estado dos Assuntos Parlamentares e da Igualdade, Teresa Morais, esteve no passado dia 15 de maio de 2015, no Bombarral para a reabertura do NILAVD – Núcleo de Intervenção Local para a Área da Violência Doméstica.


GALERIA DE FOTOS

A funcionar no edifício dos Paços do Município, o NILAVD vem dar resposta à problemática da violência doméstica, nas suas várias perspetivas, assim como nos vários contextos onde o fenómeno se manifesta.

Perante uma plateia composta por vários autarcas, parceiros da Rede Social Local e outros convidados, Teresa Morais começou por felicitar a autarquia por ter “retomado este projeto”, destacando que estas estruturas de atendimento a vítimas de violência doméstica “precisam de ter uma proximidade com as populações para que constituam verdadeiramente um auxílio às famílias e às vítimas”.

Não sendo possível haver um núcleo de atendimento em cada freguesia ou município, “é importante que haja uma rede de estruturas para que a vítima saiba que relativamente perto encontrará uma equipa que a pode ajudar”. Atualmente, no distrito de Leiria são seis a estruturas em funcionamento.

Sobre o facto do NILAVD funcionar num edifício público, Teresa Morais considera tratar-se de uma mais valia, uma vez que na sua opinião estes núcleos “devem ter centralidade e devem estar num edifício com outros serviços, onde a vitima se pode dirigir sem que se perceba o que vai fazer”.

Para além do apoio às vítimas, a secretária de Estado defende que o NILAVD deverá “inserir-se na rede social local”, procurando, “com os outros parceiros da rede, promover ações de sensibilização nas escolas e junto da população”.

“Uma violência que vive no silencio das famílias”
Teresa Morais


Olhando para os números da violência doméstica participada, Teresa Morais alerta que “apesar de hoje não termos um cenário mais grave do que há alguns anos atrás, estamos perante uma realidade que resiste à nossa intervenção e cuja eliminação vai infelizmente demorar muitos anos, porque estamos a falar de uma violência que em muitos casos vive no silencio das famílias, sendo apenas conhecida nos momentos mais dramáticos”.

“Ainda está um pouco enraizada na mentalidade das pessoas a ideia de que o que se passa dentro de casa não é da nossa conta”, lamenta a governante, ao relembrar que a violência doméstica é um crime público, não sendo por isso necessário que a queixa seja apresentada pela própria vítima.

Teresa Morais considera que os números de violência doméstica em Portugal ainda são “preocupantes”, embora não sejam dos piores a nível da União Europeia, e na sua opinião trata-se de uma violência “que é preciso trazer para a luz do dia para poder ser combatida”.

Destacando a importância das forças de segurança, que “muitas vezes são o único recurso”, a governante frisou que “uma queixa desvalorizada hoje, pode ser uma mulher morta amanhã”.

Recordando a “prioridade” que foi dada pelo atual governo à temática da violência doméstica, a secretária da Estado enumerou algumas das medidas criadas nesta área, nomeadamente a disponibilização de um transporte seguro e gratuito para as vítimas, o aumento de vagas para acolhimento de situações de emergência ou ainda a criação de um fundo financeiro que as 37 casas abrigo existentes no país dispõe para apoio à autonomização das vítimas.

Na sua opinião, a violência doméstica, “demorará ainda muitos anos a erradicar, porque se trata de uma realidade só se alterará quando as novas gerações, através dos bancos da escola, receberem um educação mais maciça ao nível dos direitos humanos”, trabalho já iniciado com a criação de manuais escolares, para os primeiros graus de ensino, sobre a prevenção da violência na família.

“É muito importante a atenção da comunidade em relação a estas situações, porque se trata de um crime público que não podemos ignorar e que temos obrigação de denunciar”, concluiu.

“Câmara abraça o papel activo no combate a este flagelo”
José Manuel Vieira


Na abertura da sessão, o presidente da Câmara Municipal do Bombarral destacou que “nos tempos que correm é inadmissível que haja pessoas que, por serem mais frágeis e debilitadas, sofram atentados sucessivos à sua dignidade pela sujeição a maus tratos físicos e psicológicos”.

José Manuel Vieira afirmou que estas situações “têm que ser identificadas por todos nós e devidamente denunciadas e tratadas para não se alastrem na nossa sociedade”, salientando que “é por isso que a nossa Câmara abraça o papel activo no combate a este flagelo”.

“Urge fazer um esforço acrescido para ajudar as pessoas a adoptarem um comportamento adequado, sensibilizando-as para a importância de evitar toda e qualquer violência dirigida ao próximo”, concluiu o edil.

Aposta na prevenção para fazer descer os números da violência doméstica
Rosa Guerra


Por sua vez, a vereadora do pelouro dos Assuntos Sociais começou por elogiar “o trabalho, o empenho e a paixão que a senhora secretária de Estado tem por estas matérias e que nos vai contagiando para desenvolver um bom trabalho no nosso concelho”.

Na sua intervenção Rosa Guerra, salientou que a reativação do NILAVD “reveste-se de enorme importância face aos números relativos à violência doméstica”. Segundo os dados avançados pela autarca, entre 2009 e 2013 o número de casos registados situou-se entre as três e as quatro dezenas por ano, sendo que em 2014 verificou-se uma descida de aproximadamente 50%. Desde o início de 2015 já foram sete as situações denunciadas.

Com a reativação do NILAVD, que aconteceu no Dia Internacional da Família, “pretendemos promover uma intervenção estruturada e sistémica na área da violência, apostando na prevenção para que se consiga fazer descer este número de ocorrências”.

“É de salientar que este é um tipo de crime oculto e muito silenciado, podendo por isso durar décadas. O silêncio facilita a existência e a continuação da violência e nesse sentido a ação dos amigos ou dos familiares pode ser o início do fim da violência”, concluiu a autarca.

Após as intervenções, a comitiva teve oportunidade de conhecer o espaço onde o NILAVD irá funcionar, momento que contou com a apresentação de um quadro pintado por Francisca Leite, que a artista acompanhou com a declamação de um poema da sua autoria.
 
 
Bombarral disponibiliza serviço de apoio ao consumidor endividado
Serviço é prestado no âmbito de um protocolo de colaboração celebrado com a Associação Portuguesa de Direito de Consumo

A partir do próximo dia 14 de maio de 2015, o Município do Bombarral vai disponibilizar aos seus munícipes um serviço de aconselhamento no âmbito da Rede de Apoio ao Consumidor Endividado, sendo o mesmo prestado no Gabinete de Inserção Profissional da autarquia.

A prestação deste novo serviço surge no âmbito de um protocolo de cooperação celebrado entre a autarquia e a Associação Portuguesa de Direito de Consumo, entidade que se dedica à promoção dos direitos e protecção dos interesses do consumidor.

Com efeito, a referida instituição passou a integrar, em dezembro de 2013, a Rede de Apoio ao Consumidor Endividado cujo objectivo é informar, aconselhar e acompanhar o cliente bancário que se encontre em risco de incumprir as obrigações decorrentes de contrato de crédito celebrado com as instituições de crédito ou que, em virtude da mora no cumprimento dessas obrigações, se encontre em processo de negociação com a instituição de crédito.

Além de prestar atendimento presencial, a partir da sua sede em Coimbra, com a parceria agora estabelecida com o município do Bombarral, prestará, quando solicitado, apoio telefónico, bem como, através do Gabinete de Inserção Profissional da autarquia, atenderá através do sistema de videoconferência, às quintas-feiras, das 9 às 13 horas, os munícipes que aí se desloquem e se encontrem numa situação de sobre-endividamento, aconselhando e prestando o apoio jurídico necessário.

Como salienta Rosa Guerra, vereadora da Câmara Municipal com o pelouro da Defesa do Consumidor, “trata-se de um serviço gratuito e de interesse de todos os munícipes que se encontrem numa situação de impossibilidade de cumprimento das duas obrigações perante as instituições bancárias”.

Os munícipes que necessitarem de recorrer a este serviço deverão contactar directamente o Município, que por sua vez reportará as situações à Associação Portuguesa de Direito do Consumo.
 
 
“Idoso em Segurança”
Autarquia e GNR promoveram ação de sensibilização sobre burlas e segurança

O Município do Bombarral, em parceria com a Guarda Nacional Republicana, através da secção de Programas Especiais, promoveu, no passado dia 21 de abril de 2015, mais um ação de sensibilização vocacionada para a população sénior sobre burlas e segurança.

Intitulada “Idoso em Segurança”, a ação destinou-se aos alunos dos “Universitários50+” e pretendeu alertar os participantes sobre os cuidados que se deve ter para evitar as burlas e aumentar a segurança em casa e na rua.

Na abertura da sessão, a vereadora do pelouro dos Assuntos Socais da Câmara Municipal, Rosa Guerra, destacou a “importância da prevenção para evitar as situações de burla junto dos idosos”.

“O nosso objectivo é sensibilizar a população idosa para os cuidados que devem ter quando vivem sozinhos ou andam na rua, indicando como devem agir em caso de tentativa de burla”, explicou.  

Nesse sentido, a autarca garante que “teremos uma preocupação constante em relação à realização deste género de ações que alertam a população para os comportamentos que devemos ter face aos vários tipos de burla, furtos e roubos, sendo os idosos, nesta matéria, um alvo privilegiado”.

Perante uma plateia que se mostrou bastante atenta e alertada para esta problemática, o cabo João Frango, da secção de Programas Especiais, começou por chamar à atenção dos presentes para uma iniciativa que a GNR está a desenvolver.

Como o intuito de promover uma maior proximidade com a população idosa, a GNR encontra-se neste momento a efetuar o registo dos idosos que vivem sós ou isolados, com intuito destes receberem periodicamente a visita de um guarda.

Sobre a temática da ação, o cabo João Frango sublinhou que, para além das burlas, a violência contra os idosos é outra das áreas que neste momento é bastante preocupante, afirmando que a atual situação económica do país tem contribuído para o aumento dos casos de maus tratos físicos e psicológicos sobre os idosos.

No que diz respeito às burlas, os resultados das várias ações que têm sido desenvolvidas junto da população começam a dar frutos. “Na área do destacamento de Caldas da Rainha passamos de um crime com muita incidência para um crime residual”, frisou o militar.

Segundo referiu o cabo João Frango, os idosos são o alvo preferencial dos burlões. “O idoso quando está sozinho está ávido por conversar e sem se dar conta acaba por dar muita informação que o burlão pode usar no momento ou posteriormente”, acrescentou.

Como explicou o militar, quando o idoso se apercebe que está a ser alvo de uma tentativa de burla, este não se deve precipitar, não deve mostrar nervosismo nem dizer que está sozinho e deve tentar memorizar as características do burlão, nomeadamente alguns sinais particulares como cicatrizes ou tatuagens.

Entrando na temática da segurança em casa e na rua, o cabo João Frango alertou os presentes para a importância de manter as portas e as janelas fechadas quando se sai de casa, de ter atenção às informações que se dá por telefone ou ainda para a forma como se deve circular nos passeios.

O levantamento das reformas foi outra das temáticas abordadas, sendo que entre outros cuidados a ter, o militar aconselhou os presentes a quebrar rotinas, evitando fazê-lo sempre no mesmo dia e à mesma hora, e a dividir o valor por vários envelopes.

No final da sessão, foram distribuídos folhetos sobre as temáticas abordadas na ação e alguns dos participantes aproveitaram para aderir à iniciativa da GNR, efetuando o seu registo.
 
 
Almoço solidário a favor dos bombeiros do Bombarral
Refeição teve lugar na Escola de Hotelaria e Turismo do Oeste

A Escola de Hotelaria e Turismo do Oeste, em Caldas da Rainha, promoveu no passado dia 5 de março de 2015, mais um almoço solidário a favor da Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários do Bombarral.

[+] Fotos

O almoço, organizado pelo Município do Bombarral por intermédio da vereadora do pelouro dos Assuntos Sociais, Rosa Guerra, reuniu cerca de três dezenas de pessoas e teve lugar na sala do restaurante de aplicação do estabelecimento de ensino.    

Participaram no evento elementos do executivo camarário, das Juntas de Freguesia do concelho e da Assembleia Municipal, representantes dos soldados da paz bombarralenses, vários empresários do concelho, professores do Agrupamento de Escolas Fernão do Pó, entre outros convidados.

No que diz respeito à ementa, a refeição iniciou-se com uma “Quiche Lorraine”, seguindo-se um “Creme de ervilhas com presunto”.

Para prato principal, os estudantes confecionaram “Medalhões de Porco com Cogumelos”, enquanto que para sobremesa prepararam uns deliciosos “Crepes de ovo gratinados”.

A refeição foi confecionada pelos alunos do 2º ano de Técnicas de Cozinha/Pastelaria e servida pelos estudantes do 2º ano de Técnicas de Serviço de Restauração e Bebidas.

No final, Rosa Guerra, vereadora da Câmara Municipal com o pelouro dos Assuntos Sociais, e Vitor Garcia, em representação da Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários do Bombarral, fizeram questão de agradecer a presença e o contributo dado aos soldados da paz.  
Por sua vez, Daniel Pinto aproveitou a ocasião para fazer uma breve apresentação do trabalho que o estabelecimento de ensino tem vindo a desenvolver, afirmando uma vez mais a disponibilidade da escola de hotelaria para a realização de mais iniciativas solidárias.
 
 
Bombarral recebe camas articuladas doadas por hospital francês

O Municipio do Bombarral recebeu esta terça-feira, dia 3 de fevereiro de 2015, sete camas articuladas eléctricas que se destinam ao apoio de famílias carenciadas do concelho que tenham a seu cuidado familiares acamados.   

Os referidos equipamentos foram doados pelo Hospital Henri Mondor, em Créteil, localidade a cerca de 10 quilómetros de Paris, França, por intermédio de Suzette Fernandes, colaboradora desta unidade de saúde com ligações familiares ao concelho do Bombarral.

Desta ligação, e após reunir com a vereadora dos Assuntos Sociais da Câmara Municipal, Rosa Guerra, surgiu a ideia de articular com a autarquia a recepção das camas hospitalares, bem como outros equipamentos e materiais no âmbito das ajudas técnicas, que foram igualmente doados por iniciativa de Suzette Fernandes.

Considerando tratar-se de uma oportunidade que não poderia ser desperdiçada, Rosa Guerra enalteceu “o espírito de iniciativa e a disponibilidade de Suzette Fernandes, que nos deu um excelente exemplo de que havendo boa vontade tudo se consegue”.

Segundo a autarca, o objectivo passa agora por “criar um banco municipal de ajudas técnicas, ao qual as pessoas com maiores carências poderão recorrer, caso estejam em situação de dependência permanente ou temporária ou a sua situação de saúde requeira a utilização destes equipamentos”.

Quem também se associou a esta iniciativa solidária foi o Intermarché do Bombarral, que de imediato se disponibilizou para assegurar o transporte das camas.

Finalizando, a vereadora Rosa Guerra dirigiu uma palavra de agradecimento ao Hospital Henri Mondor e ao Intermarché do Bombarral, sublinhando que “estas parcerias são fundamentais e imprescindíveis para colmatar as dificuldades que todos nós enfrentamos”.
 
 
“Universitários 50+” promoveram recolha de bens

Com o objetivo de proporcionar a quem mais precisa uma Natal mais feliz, os alunos e os professores do projecto municipal “Universitários 50+” realizaram, entre os dias 2 e 15 de dezembro de 2014, uma recolha de brinquedos, roupas e bens alimentares.

As roupas e os brinquedos recolhidos destinaram-se à delegação da Cruz Vermelha Portuguesa do Bombarral, enquanto os bens alimentares foram entregues a uma família carenciada, referenciada pelo setor dos Assuntos Sociais da Câmara Municipal.   

A entrega dos bens recolhidos coube à vereadora do pelouro dos Assuntos Sociais, Rosa Guerra, e ocorreu no passado dia 19 de dezembro.

No caso da Cruz Vermelha Portuguesa, os bens foram recepcionados pela presidente da delegação do Bombarral, Guida Bruno, na “Loja Solidária” da instituição, situada na Galeria da Caixa de Crédito Agrícola do Bombarral.

Para além dos bens alimentares, os alunos e professores dos “Universitários 50+” recolheram carrinhos de brincar, livros, jogos didácticos, filmes de animação, puzzle’s, peluches e bonecas, bem como várias peças de roupa para homem, senhora e criança, entre outros.
 
 
Natal animado no Bombarral

Nos últimos dias não tem faltado animação na Mostra de Presépios e Árvores de Natal, que se encontra patente numa das lojas da Rua do Comércio, no Bombarral, até ao próximo dia 6 de janeiro de 2015.

Fotos: Animação de rua com Os Lendários
 
Fotos: Aula de Zumba com Joana Marcão
 
No passado sábado, dia 20 de dezembro de 2014, os elementos do Grupo de Teatro Amador Os Lendários espalharam alegria e boa disposição pelas ruas da vila desejando um feliz Natal e um bom Ano de 2015 às pessoas com quem se foram cruzando,

A Mostra de Presépios e Árvores de Natal, promovida pelo Município do Bombarral, o Mercado de Natal, da Associação Bombarral Sustentável, e a Loja Solidária da Cruz Vermelha Portuguesa foram alguns dos locais por onde o grupo passou.

Nesta iniciativa, Os Lendários contaram ainda com a ajuda de duas “ajudantes do Pai Natal” que se encontravam a fazer pinturas faciais junto à loja da Cruz Vermelha.

Aula de Zumba

No dia 22 de dezembro, a animação regressou à Rua do Comércio, que viveu um final de tarde "zumbástico", com a realização de uma aula de Zumba, promovida pela instrutora Joana Marcão.

A iniciativa contou com a participação de algumas dezenas de pessoas e nem a vereadora da Câmara Municipal, Rosa Guerra, resistiu em participar.

De referir, por último, que os interessados em praticar esta modalidade poderão obter mais informações junto do Circulo de Cultura Musical Bombarralense, espaço onde se realizam as aulas.
 
 
Festa de Natal dos Universitários 50+

Os alunos do projecto municipal “Universitários 50+” realizaram esta segunda-feira, dia 15 de dezembro de 2014, a sua festa de Natal.

GALERIA DE FOTOS

O momento de convívio teve este ano a particularidade de contar com a presença das crianças do pré-escolar do Centro Social Paroquial do Bombarral, que se associaram ao evento brindando os alunos do referido projecto com a interpretação de várias canções alusivas à época natalícia.

As festividades iniciaram-se com uma visita à Mostra de Presépios e Árvores de Natal, patente numa loja da Rua do Comércio, no Bombarral, até ao próximo dia 6 de janeiro de 2015.

Neste espaço, os petizes eram aguardados pela jovem animadora Daniela Bicho, que ofertou a cada criança balões em forma de flor, de espada, entre outras figuras.       

Já na sede dos “Universitários 50+”, no edifício da antiga escola primária, a primeira prestação esteve a cargo dos mais pequenos, seguindo-se a turma de teatro amador e de arqueologia, com a leitura de poemas e a interpretação de canções de Natal.

Antes do lanche partilhado, houve ainda oportunidade de visualizar um vídeo, realizado pelo formador da disciplina de informática, no qual se apresenta as várias disciplinas deste projecto de formação ao longo da vida.

No final, a vereadora com o pelouro dos Assuntos Sociais, Rosa Guerra, dirigiu uma palavra de agradecimento aos alunos dos “Universitários 50+” pela sua envolvência na iniciativa, bem como às educadoras e às crianças do Cento Social Paroquial do Bombarral, que felicitou pela sua prestação.

Por fim, a autarca desejou a todos um feliz Natal, afirmando esperar que no ano de 2015 se mantenha o espírito de partilha evidenciado neste evento.
 
 
Mostra de Presépios e Árvores de Natal no Bombarral está patente até dia 6 de janeiro de 2015

A inauguração da Mostra de Presépios e Árvores de Natal, no passado dia 5 de dezembro de 2014, marcou o arranque das festividades natalícias no Bombarral, que se vão prolongar até dia 6 de janeiro de 2015.

GALERIA DE FOTOS

Promovida pelo Município do Bombarral, através do setor dos Assuntos Sociais, a exposição encontra-se patente numa das lojas e ao longo da Rua do Comércio, contando com perto de uma centena de presépios e cerca de meia centena de árvores de Natal, números que demonstram o sucesso da iniciativa.

A mostra reúne trabalhos da autoria das juntas de freguesia, das associações e instituições de solidariedade social locais, dos utentes dos Universitários 50+, das crianças da catequese e dos alunos dos estabelecimentos de ensino do concelho.

Paralelamente, neste espaço está igualmente a decorrer uma pequena feira de artesanato, onde os visitantes poderão adquirir vários artigos, encontrando, com certeza, excelentes sugestões para ofertas de Natal.

Para além de assinalar a quadra natalícia, o evento tem também uma vertente solidária, sendo os visitantes convidados a dar o seu contributo monetário. No final a verba angariada será entregue a uma instituição de solidariedade social do concelho, seleccionada através de um sorteio que terá lugar no dia 6 de janeiro.

A abertura da exposição, que ocorreu ao final da tarde do dia 5, esteve a cargo da vereadora do pelouro dos Assuntos Sociais, Rosa Guerra, e do presidente da Câmara Municipal do Bombarral, José Manuel Vieira.

Na sua intervenção, a autarca demonstrou a sua satisfação pela concretização desta iniciativa, endereçando uma palavra de agradecimento a todos os que a tornaram possível, nomeadamente aos colaboradores da autarquia, aos autores das árvores e dos presépios expostos, bem como ao proprietário da loja, Nuno Lé, que cedeu o espaço gratuitamente.

“Estou muito feliz pelo que está a acontecer, pelo dinamismo, pela solidariedade e pela partilha que está patente neste evento”, frisou  

Por último, Rosa Guerra aproveitou a ocasião para convidar a população a visitar a exposição, bem como a participar nas atividades que vão acontecer paralelamente até ao dia 6 de janeiro.

Por sua vez, José Manuel Vieira enalteceu a iniciativa, que considerou ser “um magnífico pontapé de saída para a comemoração do Natal de 2014”.

Como frisou, “é desta forma que a Câmara Municipal deseja a todos um feliz Natal e um bom ano de 2015, ano onde se vislumbram alguns sinais positivos relativamente à ação que a autarquia pode e deve desenvolver a favor da nossa população”.    

Entre outros convidados, a abertura da exposição contou com a presença da vereadora Maria de Los Angeles, do vereador Luís Camilo Duarte, das crianças do Centro Social Paroquial do Bombarral, bem como do Padre Manuel Charumbo e do Diácono Giancarlo, que aproveitaram a ocasião para abençoar o evento e desejar um Santo Natal a todas as famílias.

Como referido anteriormente, até dia 6 de janeiro está prevista a realização de várias atividades, como foi o caso da chegada do Pai Natal,

A iniciativa teve lugar no passado sábado, dia 6 de dezembro, e foi acompanhada por várias dezenas de crianças, a quem o “velhinho de barbas brancas” entregou bombons e presentes.
 
 
Violência no namoro foi tema de debate no Bombarral

O Município do Bombarral assinalou, no passado dia 25 de novembro de 2014, o Dia Internacional para a Eliminação da Violência Contra as Mulheres com uma ação de sensibilização subordinada à temática da violência namoro.

+ Fotos

Promovida em parceria com o Agrupamento de Escolas Fernão do Pó, a sessão destinou-se aos estudantes do ensino secundário e realizou-se, no período da tarde, no auditório da Escola Básica e Secundária Fernão do Pó.

Para falar sobre a temática da acão foram convidados o Cabo João Frango, da Secção de Programa Especiais Guarda Nacional Republicana, e Gustavo Duarte, psicólogo da Associação Portuguesa de Apoio à Vítima.  

Perante uma plateia composta por cerca de oito dezenas de estudantes, coube a Rosa Guerra, vereadora da Câmara Municipal com o pelouro dos Assuntos Sociais, a abertura da sessão.  

Depois de dirigir uma palavra de agradecimento ao director do estabelecimento de ensino e aos oradores convidados, a autarca explicou que esta ação teve por finalidade a “sensibilização para que as situações de violência doméstica não fiquem no silêncio”.

Neste capítulo, Rosa Guerra destacou o papel do professor, defendendo que além de “partilhar sabedoria e competências, também pode ser um amigo e um confidente”.

“Não desvalorizando o papel que os pais desempenham na nossa vida, muitas vezes não nos sentimos à vontade para com eles partilhar determinadas situações”, referiu a autarca, acrescentando que “ao criarmos uma afinidade com o professor passamos a ter alguém a quem confidenciar ou denunciar as referidas situações”.      

Seguiu-se a intervenção do Cabo João Frango que começou por explicar os factos que motivaram a instituição deste dia, recordando as irmãs Mirabal, mortas a 25 novembro de 1960 a mando do General Trujillo, ditador que durante várias décadas liderou a Republica Dominicana.  

Como referiu, as irmãs Mirabal são o símbolo da resistência das mulheres contra a violência, levando a Assembleia-geral das Nações Unidas a declarar o dia da sua morte como o Dia Internacional da Eliminação da Violência contra a Mulher.

Depois de uma breve abordagem às convenções nacionais e internacionais, o Cabo João Frango falou sobre a missão da GNR em relação à prevenção da violência e deixou alguns conselhos sobre as atitudes a tomar em caso de risco.

Por seu lado, Gustavo Duarte começou por questionar os alunos sobre o que consideravam ser uma relação saudável e uma relação não saudável, abordando de seguida os direitos e os deveres numa relação.  

O psicólogo da APAV explicou ainda o que é a violência doméstica, identificou as várias formas de violência e deu alguns exemplos de violência verbal, psicológica, relacional, física e sexual.

Depois de assinalar o perfil da vítima e do agressor, Gustavo Andrade enumerou algumas das consequências físicas, sociais e psicológicas dos atos de violência para a vítima.

Os problemas de sono, o medo, a desconfiança, o isolamento, a descida das notas, os hematomas, a ansiedade e a depressão foram algumas das consequências focadas pelo psicólogo da APAV e que devem chamar à atenção de quem rodeia a pessoa violentada.

Gustavo Duarte focou ainda os três ciclos da violência doméstica: em primeiro lugar surge a tensão (começam a surgir os problemas no relacionamento), em segundo a agressão e em terceiro a lua-de-mel (o agressor mostra-se arrependido e a vítima acaba por perdoar).

“Quantas mais voltas se dá neste ciclo, mais pequena é a fase da lua-de-mel e maiores são as outras das fases”, sublinhou.

Por último, Gustavo Duarte deixou alguns conselhos sobre o que se deve fazer no caso de sermos vítimas de violência e sobre as medidas que devemos tomar caso tenhamos conhecimento de alguma situação, uma vez que se trata de um crime público.

Em jeito de conclusão, a vereadora Rosa Guerra salientou que esta iniciativa pretendeu alertar os estudantes para esta problemática, frisando que “o silêncio é um elemento facilitador da violência”.

“O facto de estarmos apaixonados não implica que tenhamos de aceitar a agressividade”, concluiu.
 
 
Dia Internacional para a Erradicação da Pobreza

O Município do Bombarral assinalou no passado dia 17 de outubro de 2014 o Dia Internacional para a Erradicação da Pobreza convidando a população a associar-se a esta efeméride através da entrega de um bem alimentar.

+ Fotos

A iniciativa contou com a colaboração dos alunos do projecto “Universitários 50+” que frequentam a disciplina de “Atelier de Momentos”, leccionada por Daniela Hermenegildo.   

Com o objetivo de despertar a população para esta problemática que se vem agudizando com a deterioração da situação económica mundial, os estudantes muniram-se de cartazes com mensagens de alerta e ofereceram um coração, com a frase “Hoje fui solidário(a)”, a todas as pessoas que entregaram um bem alimentar.

No momento em que procedeu à entrega de um bem alimentar, Rosa Guerra, vereadora com o pelouro dos Assuntos Sociais, dirigiu uma palavra de agradecimento aos alunos dos “Universitários 50+” pela sua participação nesta iniciativa que teve por finalidade “sensibilizar a população para o flagelo da pobreza”.

Reforçando a mensagem veiculada nos cartazes, a autarca sublinhou o facto de haver “cerca de 850 milhões de pessoas a passar fome”, bem como da pobreza “contribuir directamente para a morte de 30 mil pessoas por ano”.

A recolha dos bens alimentares ocorreu durante a manhã, no Posto de Turismo do Bombarral, e foram muitas as pessoas que se associaram a esta causa, entre as quais o presidente da Câmara Municipal.

Os bens recolhidos destinaram-se à Conferência Vicentina Santíssimo Salvador do Mundo, Bombarral, entidade que mensalmente entrega cabazes com bens alimentares a seis dezenas de famílias carenciadas.

 
CLASB aprovou atualização ao Plano de Desenvolvimento Social
 
O Conselho Local de Ação Social do Bombarral reuniu no Auditório Municipal, no passado dia 2 de julho de 2014, com o intuito de apresentar o trabalho elaborado pelos elementos do seu núcleo executivo relativamente à atualização dos dados do Plano de Desenvolvimento Social do concelho. 

No trabalho desenvolvido foram identificados quatro eixos/domínios de intervenção: população idosa, pobreza, saúde e informação em rede.

Destes decorrem os respetivos planos de ação, que contemplam todas as atividades que se prevêem efetuar no âmbito de cada eixo/domínio.

Após a apresentação dos documentos, Rosa Guerra, vereadora da Câmara Municipal com o pelouro dos Assuntos Sociais e presidente do CLASB, colocou os mesmos à discussão, tendo sido aprovados pelas entidades presentes por unanimidade, concordando-se em dar prioridade aos eixos/domínios da população idosa e da informação em rede.

Na reunião foram ainda tratados outros assuntos constantes na ordem de trabalhos, nomeadamente a apresentação do trabalho desenvolvido em parceria com a OesteCIM no âmbito do grupo intermunicipal de domínio social e a adesão de novas entidades ao CLASB. 
 
Documentos para consulta:
 
 
 
 


CPCJ do Bombarral vai criar uma ludoteca

A Comissão de Proteção de Crianças e Jovens de Bombarral, em parceria com o Instituto de Apoio à Criança, está a lançar um projeto para as Crianças/Jovens do Bombarral, nomeadamente para aquelas que frequentam as instalações da Comissão. O projeto que pretendemos desenvolver prender-se com a constituição de uma Ludoteca.
 

O objetivo fundamental desta Ludoteca encerra em si dois grandes princípios: tornar as instalações um espaço agradável para as crianças/jovens e em simultâneo ajudar a desmistificar a ação/missão da CPCJ. A missão da Comissão está inscrita no seu próprio nome: PROTEÇÃO DE CRIANÇAS E JOVENS. 
 
De modo a tornar este projeto uma realidade (e será a breve trecho!) vamos estabelecer algumas parcerias com Instituições e Empresas locais. Vamos também contar com doações de brinquedos, jogos, livros, dvd's, cd's, etc. que poderam ser entregues por particulares nas instalações da CPCJ (Edíficio do Centro de Transportes, entrada pelo pátio interior). 


Almoço solidário a favor dos bombeiros do Bombarral
 
A Escola de Hotelaria e Turismo do Oeste, em Caldas da Rainha, promoveu esta terça-feira, dia 11 de fevereiro de 2014, um almoço a favor da Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários do Bombarral. 
 
 
O almoço solidário foi organizado pela Câmara Municipal do Bombarral e reuniu cerca de quatro dezenas de pessoas, preenchendo a lotação da sala do restaurante de aplicação do estabelecimento de ensino.    

Participaram no evento os membros do executivo camarário, representantes dos soldados da paz bombarralenses, vários empresários do concelho, alguns elementos da direção do Agrupamento de Escolas Fernão do Pó, colaboradores da autarquia, entre outros convidados.

À chegada, as individualidades convidadas foram recebidas por Daniel Pinto, director da Escola de Hotelaria e Turismo do Oeste, e antes de se dirigiram para a sala de refeições tiveram oportunidade de degustar um cocktail com licor de ginja e espumante.

Quanto à ementa, a refeição iniciou-se com uma Sopa de Feijão e Hortaliças, seguindo-se um Bacalhau Assado com Batata ao Alho e Legumes, iguarias que foi possível acompanhar com vinho “Cerejeiras”, do Bombarral. 

Para sobremesa, os estudantes prepararam Maçã Salteada com Mousse de Natas e Crocantes de Noz.

A confecção da refeição esteve a cargo dos alunos do 1º ano de Técnicas de Cozinha/Pastelaria, enquanto o serviço foi efectuado pelos estudantes do 1º ano de Técnicas de Serviço de Restauração e Bebidas.

No final, Rosa Guerra, vereadora do pelouro da acção social, e Vitor Garcia, da direcção da Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários do Bombarral, agradeceram a presença e o contributo dado aos soldados da paz.  

Por sua vez, Daniel Pinto aproveitou a ocasião para fazer uma breve apresentação da escola e do trabalho que o estabelecimento de ensino tem desenvolvido.


Famílias carenciadas recebem bens alimentares
 
O Município do Bombarral iniciou esta quinta-feira, dia 13 de fevereiro de 2014, a distribuição de 1116 embalagens de fiambre, disponibilizadas pela empresa Nobre Alimentação, Lda., pelas várias associações do concelho que se dedicam, em regime de voluntariado, ao apoio a famílias carenciadas. 

“Tendo em atenção as dificuldades que a autarquia atravessa, tenho procurado desenvolver contactos com várias empresas, dentro e fora do concelho, com o intuito de solicitar o seu apoio com vista a colmatar as carências das famílias”, explicou Rosa Guerra, vereadora com o pelouro da Acção Social.

Como salientou a autarca, tem-se registado “um aumento do número de famílias carenciadas” e nesse sentido “temos de desenvolver trabalho, articulando e congregando esforços, para conseguirmos minimizar estas dificuldades”.

A distribuição dos bens alimentares pelas famílias mais necessitadas estará a cargo das seguintes entidades: Paróquias do Sr. Jesus do Carvalhal e do Vale Covo, Irmandade do Santíssimo Sacramento da Roliça, Associação de Solidariedade Social do Pò, Conferência Vicentina do Santíssimo Salvador do Mundo (Bombarral) e Grupo Sócio-Caritativo do Cintrão, Casalinho e Moita Boa.